Mensagem para George Harrison
Discografia Brasileira
Discos no Mundo
Raridades em estéreo
Curiosidades Fonográficas
Instrumentos
Os Livros
Entrevistas
George Martin no Brasil
Vídeos

CLIQUE NOS ÍCONES ACIMA PARA ACESSAR A REDE

OU VOLTE AO INÍCIO

 

 

 

DISCOGRAFIA BRASILEIRA

 

 

Compactos-simples (CS), Compactos-Duplos (CD) e Long-Plays (LP) na ordem de lançamento até 1970

Até o incío dos anos 1970 todos os discos dos Beatles, lançados pela Odeon, vinham com as famosas "capas sanduíche", com o papel com a foto entre duas lâminas de plástico.

Ao final, uma explicação detalhada sobre os diferentes selos dos discos dos Beatles lançados no Brasil.

 

     Agradecimentos: Todos os visitantes e colecionadores que escrevem com sugestões, correções ou inclusão de material que omitimos.

     Em especial a Menachem Grosz e Fernando Homem de Melo por cederem textos e imagens que enriquecem a página.

E sem esquecer dos colecionadores José Roberto "Oldies", Francisco Henrique Ribeiro, Christopher Maus, Adriano Mussolin, Waldir Dinoá, Nelio Rodrigues, Vladimir Dantas, Leonardo Conde de Alencar e "Baratta dos Discos".

 

  

  1 - LP Twistin' (Polydor LPG 46.612 - 11/1962)

Lado 1: My Bonnie / Skinny Minny / Whole Lotta Shakin' Going On / I Know Baby / You Are My Sunshine / Ready Teddy

Lado 2: The Saints / Hallelujah I Love Her So / Let's Twist Again / Sweet Georgia Brown / Swanee River / Top Ten Twist.

Primeiro disco a conter músicas dos Beatles lançado no Brasil. Foi creditado a Tony Sheridan e os Beat Brothers. Apenas My Bonnie e The Saints eram com os Beatles.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, a Polydor usou matrizes em estéreo para criar um "falso" mono.

__________________________________________________________
 

 

 

 

  

   2 - CS Please Please Me / From Me To You (Odeon 7I 3044 - 12/1963)

(fotos enviadas pelo colecionador Waldir Dinoá)

Primeiro compacto-simples lançado no Brasil, agora pela representante da EMI no Brasil, a Odeon. A primeira edição (à esquerda), trazia as letras em roxo e o selo amarelo "Alta Fidelidade".

Segundo o pesquisadore Menachem Grosz, a Odeon usou as mixagens mono inglesas, mas com rotação abaixo dos 33 1/3 normalmente usada no Brasil. E o final de Please Please Me é abrupto, fazendo a versão mais curta do que a lançada em outros países.

A contracapa (abaixo), era padrão, com anúncio de lançamentos da gravadora.

   

A segunda edição (de dezembro de 1964), veio com letras vermelhas na capa (foto à esquerda), e o segundo selo amarelo da Odeon.

A contracapa (abaixo), tinha novos anúncios de lançamentos, incluindo três dos Beatles.

   
__________________________________________________________
 

  

   3 - CD My Bonnie / Cry For A Shadow / The Saints / Why (Polydor DCP 621.517 - 02/1964).

Com a explosão dos Beatles na Inglaterra e o recente lançamento pela Odeon, a Polydor brasileira correu e lançou este compacto-duplo, agora creditando Tony Sheridan como um mero acompanhante.

Segundo pesquisador Menachem Grosz, as músicas estão em "falso" mono, criado a partir de matrizes em estéreo. A Compania Brasileira de Discos desconhecia tanto o produto que lançava que reproduziu na contracapa informação errada dizendo que apenas My Bonnie era com os Beatles.

__________________________________________________________
 

Capa laminada do relançamento de 1974, em "falso estéreo".

 

   4 - LP Beatlemania (Odeon MOFB 274 - 03/1964 - mono - e SMOFB 274 - 1974 - falso estéreo)

Lado 1: I Want To Hold Your Hand / It Won't Be Long / All I've Got To Do / Little Child / Don't Bother Me / Please Mr. Postman

Lado 2: She Loves You / Roll Over Beethoven / You Really Got A Hold On Me / I Wanna Be Your Man / Devil In Her Heart / I Saw Her Standing There

Primeiro long-play lançado pela Odeon, com a mesma foto da capa do disco inglês With The Beatles. Mas o conteúdo foi alterado.

O selo era azul, com letras em prata, com "Alta Fidelidade" em destaque.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, em 1974 foi lançado em "falso estéreo". A gravadora confeccionou para esta edição nacional capas laminadas e, especialmente, um fascículo verde com letras pretas intitulado "Você conhece os Beatles?" em página única dobrada em três colunas (frente e verso). Cada uma destas alude aos lançamentos desde 1963 até 1974 em "singles", EPs e LPs (até Band on the run) e apresenta algumas citações, como "Início da Beatlemania", "Todos em stéreo", "Aqui os Beatles" e "Beatles?". E o selo utilizado foi o amarelo-marmorizado, que estava sendo utilizado desde 1972.

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em falso estéreo e com acréscimo de "reverb". A velocidade, comprometida em todas as reedições em mono produzidas entre 1966 e 1972, foi normalizada.

__________________________________________________________
 

  

   5 - CS I Want To Hold Your Hand / She Loves You (Odeon 7I 3049 - 03/1964)

Os dois maiores sucessos do recém-lançado LP foram utilizados neste compacto-simples.

Abrindo o lado A do compacto temos uma narração de Léo Batista, exaltando a Beatlemania em todo o mundo e apresentando o grupo aos brasileiros. Encerrando o lado B, mais uma narração, destacando os esforços da gravadora Odeon em trazer os Beatles para a "Brotolândia Brasileira".

 

As edições promocionais vinham dentro de um envelope com destaques para o sucesso da banda, biografia de cada integrante, num esforço da Odeon para repetir o sucesso dos Beatles no Brasil, como estava acontecendo no mundo todo.

 

 

 

 

 

Para a capa brasileira a Odeon usou a foto do compacto-duplo inglês Twist and Shout, lançado em Julho de 1963.

__________________________________________________________
 

  

   6 - LP O Mundo Em Suas Mãos - Volume 2 (Odeon MOFB 278 - 05/1964)

She Loves You volta a figurar em lançamento da Odeon, agora nesta coletânea de sucessos internacionais.

Como atrativo para os fãs, Twist And Shout, ainda inédita no Brasil, assim como outras canções do primeiro LP inglês do grupo, Please Please Me.

__________________________________________________________
 

  

   7 - CS Long Tall Sally / I Call Your Name (Odeon 7I 3074 - 06/1964)

Originalmente lançadas na Inglaterra em um compacto-duplo, estas músicas recém-gravadas pelos Beatles chegam ao mercado nacional. A Odeon usou a mesm acapa do compacto-duplo inglês.

Segundo o colecionador Fernando Homem de Melo, estas duas músicas foram lançadas aqui antes da Inglaterra, pois as matrizes teriam vindo da Capitol americana, que lançou as duas no discos Beatles' Second Album, em Abril de 1964. Na Inglaterra foram lançadas no dia 19 de Julho. No Brasil os lançamentos eram na primeira quinzena do mês.

A minha opinião é que o nosso disco saiu depois, por usar a mesma capa do lançamento inglês.

__________________________________________________________
 

Capa laminada da edição de 1974, em "falso" estéreo,

  

   8 - LP Beatles Again (Odeon MOFB 287 - 07/1964 - mono - e SMOFB 287 - 1974 - falso estéreo)

Lado 1: Please Please Me / Boys / Twist And Shout / From Me To You / Baby It's You / I'll Get You

Lado 2: Hold Me Tight / Money (That's What I Want) / Do You Want To Know A Secret / All My Loving / Love Me Do / Can't Buy Me Love

O segundo LP lançado pela Odeon trazia músicas dos discos ingleses Please Please Me e With The Beatles, assim como algumas músicas de compactos ingleses e o novo sucesso do grupo.

Novamente foi usado o selo azul "Alta Fidelidade".

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, a primeira edição foi em mono e suas reedições até 1972 foram apenas neste sistema. Em 1974 ocorreu a única edição em estéreo, Odeon SMOFB-287, com capa laminada e não em "sanduíche", como eram os lançamentos da Odeon até esta data. E o selo utilizado foi o amarelo-marmorizado, que estava sendo utilizado desde 1972.

Porém, o estéreo era "falso". feito a partir das fitas monofônicas. Várias músicas do disco já haviam sido lançadas em estéreo em coletâneas e poderiam ter sido utilizadas, como Please Please Me, From Me To You, All My Loving e Can't Buy Me Love. As outras músicas do disco ainda eram inéditas em estéreo no Brasil mas nem assim a gravadora usou mixagens neste sistema.

__________________________________________________________
 

  Terceira versão da capa, de 1972, toda de papel.

  

   9 - CD Twist And Shout / A Taste Of Honey / Do You Want To Know A Secret / There's a Place (Odeon 7ID 4083 - 07/1964)

A Odeon lança um compacto-duplo idêntico ao original inglês de 1963, com mixagens em mono, mas a capa é exclusiva do Brasil.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, a versão de Twist and Shout é a mesma do compacto duplo inglês, onde os vocais são menos proeminentes como no LP Please Please Me, que teve outra mixagem onde os vocais tem mais destaque.

Na primeira edição, a cor desta capa era roxa. Já na segunda era rosa.

Em ambas edições ocorreu um erro de tipografia ("misprint"), em algumas capas deste compacto-duplo, no título da faixa 'A Taste of Honey', erroneamente grafada como 'A Taste of Honney' (com dois enes).

  

 

Embaixo, a contracapa padrão dos anos 1960.

   

Em 1972 este compacto-duplo relançado com uma terceira versão de capa, toda de papel e com um novo selo! A contracapa também foi alterada.

(imagens desta versão cedidas pelo colecionador Leonardo Conde de Alencar)

   
__________________________________________________________
 

  

  10 - LP Ídolos Da Juventude (Odeon MOFB 289 - 08/1964)

Mais uma coletânea de sucessos da gravadora Odeon.

Os Beatles estiveram presentes com os últimos sucessos no Brasil, Long Tall Sally e Can't Buy Me Love.

__________________________________________________________
 

  

  11 - CD I Want To Hold Your Hand / This Boy / She Loves You / Love Me Do (Odeon 7ID 4087 - 09/1964)

Mais um compacto-duplo, trazendo em meio aos sucessos, uma inédita de 1963, This Boy. Todas com mixagens mono. Um atrativo a mais para este disco: a matriz usada de Love Me Do é a mesma da primeira ediçlão do compacto inglês, com Ringo na bateria. Não foi usada a matriz do disco Beatles Again, que é a do LP Please Please Me, com Andy White na bateria e Ringo no pandeiro.

Este compacto duplo repetiu a capa do compacto simples lançado em Março.

__________________________________________________________
 

  

   12 - CS A Hard Day's Night / I Should Have Known Better (Odeon 7I 3083 - 12/1964)

Com cinco meses de atraso é lançada, no Brasil, a música tema do primeiro longa metragem dos Beatles. Curiosamente foi usada a capa do compacto-simples americano, infelizmente em 2 cores e não nas belas 4 cores da original.

O Lado B deste disco será nacionalmente conhecido na versão do grupo Renato e seus Blue Caps, "Menina Linda".

__________________________________________________________
 

   Capa laminada do relançamento em estéreo de 1974

  

   13 - LP Os Reis Do Ié, Ié, Ié! (Odeon MOFB 299 - 01/1965 e SMOFB 299 - 1974 - falso estéreo)

Lado 1: A Hard Day's Night / I Should Have Known Better / If I Fell / I'm Happy Just To Dance With You / And I Love Her / Tell Me Why / Can't Buy Me Love

Lado 2: Any Time At All / I'll Cry Instead / Things We Said Today / When I Get Home / You Can't Do That

O LP com a trilha sonora do primeiro filme do grupo, A Hard Day's Night, que recebeu este simpático título em português, foi o responsável pelo batismo do movimento musical que começava a crescer no Brasil, a futura Jovem Guarda A capa brasileira veio na cor laranja, contrastando com a capa original inglesa, que era azul.

Novamente foi usado o selo azul "Alta Fidelidade".

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, este disco foi relançado, em 1974, na série SMOFB do selo amarelo-marmorizado previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1972 para o LP 'The Beatles 65' estéreo e do lançamento da mesma série com idêntico selo para a primeira prensagem dos LPs Beatlemania', 'Beatles Again', 'Os Reis do Ié, Ié, Ié!' e 'Help!' em (falso) estéreo. Todos esses títulos, exceto este LP, saíram de catálogo ainda em 1974.

A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas.

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em falso estéreo, com oscilações nas frequências médias e agudas e com acréscimo de "reverb".

As únicas faixas deste álbum disponíveis em estéreo, na época, eram [a] "A Hard Day's Night", [b] "I Should Have Known Better", [c] "And I Love Her" e [d] "Can't Buy Me Love", lançadas, prévia e respectivamente, nos LPs 'Hey Jude!' 1970 [b] e [d], 'A Collection of Beatles Oldies 1972 [a] e The Beatles 1962—1966 1973 [c]. A Odeon,em contrassenso, deixou de aproveitar esses fonogramas em estéreo para incluí-los no LP Os reis do ié, ié, ié!, lançamento que ficaria parte em "true stereo", parte em"mock stereo".

__________________________________________________________
 

  

   14 - LP Juventude Em Brasa (Odeon MOFB 310 - 02/1965)

Nesta nova coletânea de sucessos, a Odeon aproveitou para lançar as duas músicas do compacto-duplo inglês Long Tall Sally, que ainda estavam inéditas no Brasil: Matchbox e Slow Down

__________________________________________________________
 

  

   15 - CD A Hard Day's Night / I Should Have Known Better / Can't Buy Me Love / And I Love Her (Odeon 7ID 4094 - 02/1965)

A Odeon lançou este disco para explorar o sucesso do filme no Brasil.

__________________________________________________________
 

  

   16 - LP O Mundo Em Suas Mãos - Volume 3 (Odeon MOFB 316 - 03/1965)

Mais uma coletânea de hits internacionais trazendo músicas dos Beatles.

Seguindo o pesquisador Menachem Grosz, esse LP saiu em três versões sob o mesmo número de catálogo. Duas em 1965 e uma em 1966.

A primeira e a segunda versões traziam A Hard Day's Night e I Should Have Known Better. A terceira versão incluiu I Feel Fine.

__________________________________________________________
 

   Capa da raríssima primeira edição em estéreo cedida pelo colecionador Francisco Henrique Ribeiro

   Imagem dos detalhes cedida pelo colecionador Marcelo Guiga

   Cópia promocional caracterizada pelo "sticker" amarelo com letras pretas: "AMOSTRA SEM VALÔR | ECHANTILLON DE MARCHANDISE" (imagem gentilmente cedida pelo pesquisador Menachem Grosz)

.

   Detalhe do "sticker" amarelo com letras pretas: "AMOSTRA SEM VALÔR | ECHANTILLON DE MARCHANDISE" (imagem gentilmente cedida pelo pesquisador Menachem Grosz)

   Capa laminada do relançamento em estéreo de 1974

  

   17 - LP The Beatles (Odeon MOFB e SMOFB 317 - 04/1965)

Lado 1: Rock And Roll Music / Kansas City / I'm A Loser / No Reply / Mr. Moonlight / I'll Follow The Sun

Lado 2: Eight Days A Week / Honey Don't / What You're Doing / Everybody's Trying To Be My Baby / I Don't Want To Spoil The Party / Words Of Love

Este disco, que ficou conhecido como o Beatles'65 brasileiro, era a versão nacional do Beatles For Sale inglês. Mas a capa e a ordem das músicas eram completamente diferentes.

E foi o primeiro disco dos Beatles em estéreo no Brasil, apesar de ainda ser um "experimento da Odeon" (informação do colecionador Vladimir Dantas).

Apenas 500 cópias experimentais foram prensadas (informação do colecionador Menachem Grosz)

Um adesivo redondo amarelo, escrito gravação esterofônica Odeon, em vermelho, foi colado no canto esquerdo das capas da edição mono.

Um novo selo foi usado, ainda azul com letras em prata, mas com a palavra MONO (ou STEREO) no lugar do "Alta Fidelidade".

A contracapa foi especialmente produzida para a edição em estéreo e com matiz azulado. Dorival Caymmi, Johnny Mathis e alguns poucos artistas lançados pela Odeon em 1965 também tiveram essa regalia.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, em 1965, a gravadora Odeon ainda produzia selos verde-petróleo para os LPs dos respectivos artistas nacionais e selos azul-marinho ou azul-claros para os respectivos artistas internacionais. Apesar desse paradigma, o selo destes dois LPs dos Fab Four em mono foram lançados em verde-petróleo: The Beatles 65 e Help!

Houve o relançamento da série SMOFB do selo amarelo-marmorizado previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1972 para este LP e do lançamento da mesma série com idêntico selo para a primeira prensagem dos LPs 'Beatlemania', 'Beatles Again', 'Os Reis do Ié, Ié, Ié!' e 'Help!' em (falso) estéreo. Todos esses títulos, exceto o LP 'Os Reis do Ié, Ié, Ié!', saíram de catálogo ainda em 1974.

A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas. Embora o número de catálogo da reedição de 1972 em estéreo com capa plastificada seja idêntico à indicação alfanumérica prensada nesta reedição de 1974, bem como ambos os selos sejam iguais, a grafia da palavra referente à mixagem varia: em 1972, era STEREO; em 1974, passou a ser ESTEREO (também sem o devido acento agudo faltoso nas edições contadas de 1973).

Neste álbum, houve, ainda, uma diferença entre os selos prensados em 1974, a saber. Todos os rótulos amarelo-marmorizados eram idênticos entre si, exceto na variação das cores da esfera existente abaixo do logotipo da gravadora. O selo dos LPs identificados com esfera verde-clara aplicava-se a artistas nacionais, enquanto os LPs indicados com esfera azul-clara destinava-se a artistas estrangeiros, o que incluiu The Beatles entre 1964 e 1965, época em que os rótulos dos LPs dos Fab Four também eram azuis, no caso, 'Beatlemania', 'Beatles Again', 'Os Reis do Ié, Ié, Ié!' , 'The Beatles 65' e 'Help!'. Em relação com os LPs dos Fab Four lançados entre 1966 e 1967, a esfera em questão era branca, visto que os LPs 'Rubber Soul', 'Revolver', 'A Collection of Beatles Oldies' e 'Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band' haviam sido originalmente prensados em selo da mesma cor.

Apesar de essa regra ser padronizada consoante a explicação supradita, a segunda e última prensagem do LP 'The Beatles 65' estéreo 1974 contém, equivocadamente, esfera verde-clara (em vez de azul-clara).

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em estéreo, como sempre estiveram desde 1965, quando o álbum foi lançado no Brasil tanto em "true stereo" (entre 1965 e 1974) e quanto em "fake mono" (entre 1965 e 1972).

__________________________________________________________
 

  

  18 - CS I Feel Fine / If I Fell (Odeon 7I 3102 - 04/1965)

Mais um compacto-simples exclusivo do mercado brasileiro.

__________________________________________________________
 

  

   19 - LP Ídolos Da Juventude - Volume 2 (Odeon MOFB 324 - 06/1965)

Mais uma coletânea de sucessos da Odeon que incluiu músicas dos Beatles.

Além de trazer uma das favoritas do último LP, Eight Days A Week, apresentava o novo sucesso do grupo, Ticket To Ride

__________________________________________________________
 

  

   20 - CS Eight Days A Week / Rock And Roll Music (Odeon 7I 3119 - 07/1965)

Os novos sucessos no Brasil são apresentados em mais um disco exclusivo.

A curiosidade é que a capa é idêntica ao do lançamento anterior.

__________________________________________________________
 

  

   21 - CS Ticket To Ride / This Boy (Odeon 7I 3134 - 10/1965)

Mais um compacto exclusivo, em termos de músicas e capa.

__________________________________________________________
 

  

   22 - CD Help! / I'm Down / Not A Second Time / Till There Was You (Odeon 7ID 4102 - 11/1965)

Ao invés de lançar o novo compacto do grupo em seu formato original, a Odeon optou por lançar as músicas neste compacto-duplo, com as duas que ainda faltavam do LP inglês With The Beatles.

__________________________________________________________
 

Capa laminada do relançamento em falso estéreo de 1972

 

 

  

    23 - LP Help! (Odeon MOFB 333 - 12/1965 - mono e SMOFB 333 - 1974 - falso estéreo)

Lado 1: James Bond Theme / Help! / The Night Before / I Need You / You've Got To Hide Your Love Away / You're Gonna Lose That Girl / Another Girl

Lado 2: Ticket To Ride / I'm Down / I Feel Fine / Thank You Girl / Ask Me Why / P.S. I Love You

Este disco foi a versão brasileira da trilha sonora do novo filme dos Beatles, aqui batizado de... "Socorro". Novamente a Odeon aproveitou para tentar colocar em dia a discografia do grupo, encaixando músicas de compactos de 1962 e 1963, ainda inéditos no Brasil,

Novamente foi usado o novo selo azul, com a palavra MONO.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, em 1965, a gravadora Odeon ainda produzia selos verde-petróleo para os LPs dos respectivos artistas nacionais e selos azul-marinho ou azul-claros para os respectivos artistas internacionais. Apesar desse paradigma, o selo destes dois LPs dos Fab Four em mono foram lançados em verde-petróleo: The Beatles 65 e Help!

Este disco foi relançado em 1974 na série SMOFB do selo amarelo-marmorizado previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1972 para o LP 'The Beatles 65' estéreo e do lançamento da mesma série com idêntico selo para a primeira prensagem dos LPs 'Beatlemania', 'Beatles Again', 'Os Reis do Ié, Ié, Ié!' e 'Help!', todos em (falso) estéreo.

Todos esses títulos, exceto o LP 'Os Reis do Ié, Ié, Ié!', saíram de catálogo ainda em 1974.

A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas e, especialmente, um fascículo branco com letras azuis e intitulado "Presente Pra Sempre" em página única dobrada em três colunas (frente e verso). Cada uma destas alude aos lançamentos desde 1963 até 1974 em "singles", EPs e LPs (até 'Walls and Bridges') e apresenta algumas citações, como "Início da Beatlemania", "Todos em Stéreo", "Aqui os Beatles" e "Beatles?".

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em falso estéreo e com acréscimo de "reverb". As únicas faixas deste álbum disponíveis em estéreo, na época, eram [a] "Help!", [b] "You've Got to Hide Your Love Away", [c] "Ticket to Ride" e [d] "I Feel Fine", lançadas, prévia e respectivamente, nos LPs 'A Collection of Beatles Oldies' 1972 [a], [c] e [d] e 'The Beatles 1962—1966' 1973 [b]. Note-se que o título "You've Got to Hide Your Love Away" voltou a ser incorretamente grafado na contracapa como "You've Got to Ride Your Love Away", erro existente na capa da primeira prensagem, lançada em 1965.

__________________________________________________________
 

  

   24 - CD You Like Me Too Much / Tell Me What You See / Dizzy Miss Lizzy / Yes It Is (Odeon 7ID 4106 - 01/1966)

Nenhuma das músicas deste compacto-duplo eram possíveis hits. Mas a Odeon tinha que colocar a discografia em dia. As músicas do lado 2 do Help inglês ficaram de fora do lançamento nacional, assim como o lado B original do compacto Ticket To Ride.

Mais um disco exclusivo dos fãs brasileiros. Até porque houve um erro de digitação no disco: Lizzi ao invés de Lizzy.

__________________________________________________________
 

Capa laminada da reedição de 1974, em "falso estéreo"

  

    25 - LP Rubber Soul (Odeon BTL 1001 - 03/1966)

Lado 1: Drive My Car / Norwegian Wood (This Bird Has Flown) / You Won't See Me / Nowhere Man / Think For Yourself / The Word / Michelle

Lado 2: What Goes On / Girl / I'm Looking Through You / In My Life / Wait / If I Needed Someone / Run For Your LifeFinalmente a Odeon conseguiu lançar um LP dos Beatles exatamente como o original britânico. O único problema é que ele chegou com três meses de atraso. Primeiro disco da série (S) BTL (X).

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, os fonogramas presentes neste disco equivalem à mixagem original inglesa em mono, contudo, em The Word, nos versos Spread the word and you'll be free / Spread the word and be like me / Spread the word I'm thinking of, percebe-se a súbita diminuição do volume da música, o qual volta aos níveis normais desde o verso sequente até o fim da canção, falha inexistente no lançamento britânico e preservada em todas as reedições monaurais, bem como nas edições falsamente estereofônicas, editadas entre 1974 e 1985.

Um novo selo foi usado nesta nova série: branco, com o logotipo da gravadora no topo e a caixa bicolor preta e vermelha com a palavra ODEON

Em 1974 foi relançado na série SBTL(X), do selo amarelo-marmorizado previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1972 para o LP 'A Collection of Beatles Oldies', e do lançamento da mesma série com idêntico selo para esta primeira prensagem do LP 'Rubber soul' em (falso) estéreo.

A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas.

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em falso estéreo, com oscilações nas frequências médias e agudas e com acréscimo de "reverb".

As únicas faixas deste álbum disponíveis em estéreo, na época, eram [a] "Drive My Car", [b] "Norwegian Wood (This Bird Has Flown)", [c] "Nowhere Man", [d] "Michelle", [e] "Girl" e [f] "In My Life", lançadas, prévia e respectivamente, nos LPs 'A Collection of Beatles Oldies', em 1972 [d] e 'The Beatles 1962—1966', em 1973 [a], [b], [c], [e] e [f].

A Odeon, em contrassenso, deixou de aproveitar esses fonogramas em estéreo para incluí-los no LP Rubber soul, lançamento que ficaria parte em "true stereo", parte em "mock stereo".

__________________________________________________________
 

  

   26 - CS Day Tripper / We Can Work It Out (Odeon 7BT 01 - 06/1966)

Mais um disco lançado exatamente como o original inglês. A única diferença é que este foi o primeiro compacto dos Beatles lançado no Brasil sem foto na capa.

E veio com seis meses de defasagem em relação ao lançamento inglês.

__________________________________________________________
 

  

   27 - CS Paperback Writer / Rain (Odeon 7BT 02 - 09/1966)

Este chegou com quatro meses de atraso, e novamente sem capa!

__________________________________________________________
 

  

   28 - CD Yesterday / Act Naturally / You Like Me Too Much / It's Only Love (Odeon 7BTD 2001 - 10/1966)

Este disco foi mais um esforço da Odeon para colocar a discografia dos Beatles em dia.

As músicas restantes do álbum Help inglês finalmente foram lançadas no Brasil, incluindo o sucesso Yesterday. Mas chegaram com um ano de atraso!

__________________________________________________________
 

 

 

    28b - CS Michelle / Yesterday (Odeon DP-368 - 11/1966)

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, este compacto promocional foi editado imediatamente antes do LP Suplemento Antecipado de Novidades em Long-Plays.

Constitui o primeiro compacto simples promocional brasileiro editado em selo branco para divulgação das respectivas faixas por emissoras de rádio e contém duas canções então inéditas no Brasil, já que o LP Revolver ainda não havia sido lançado no País. Este mesmo compacto simples teve edições e reedições comerciais, prensadas em 1966 e em selo branco, porém distinto da edição promocional.

(agradecimentos ao grande colecionador brasileiro José Roberto "Oldies", que gentilmente permitiu a digitalização deste disco).

__________________________________________________________
 

 

 

 

   29 - LP Suplemento Antecipado de Novidades em Long-Plays (Odeon DJ - 10/1966)

Um lançamento raríssimo e exclusivo do mercado brasileiro: um LP promocional duplo para divulgação em rádios. Todos os lançamentos recentes marcantes da Odeon estavam presentes neste disco.

Os Beatles participam com Yellow Submarine e Here, There and Everywhere.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, a capa plastificada dupla utilizada neste álbum serviu de protótipo para a confecção da capa do LP Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, modelo descontinuado para o lançamento do LP The Beatles e de todos os LPs da carreira-solo em "gatefold", produzidos em capas laminadas.

(agradecimentos ao grande pesquisador alemão Christopher Maus, que gentilmente enviou a imagem deste raríssimo disco brasileiro).

__________________________________________________________
 

Capa laminada do lançamento de 1974

 

   30 - LP Revolver (Odeon BTL e SBTL 1002 - 10/1966)

Lado 1: Taxman / Eleanor Rigby / I'm Only Sleeping / Love You To / Here, There and Everywhere / Yellow Submarine / She Said, She Said

Lado 2: Good Day Sunshine / And Your Bird Can Sing / For No One / Doctor Robert / I Want To Tell You / Got To Ge You Into My Life / Tomorrow Never Knows

Com apenas dois meses de atraso chegava o novo e revolucionário LP dos Beatles.

O novo selo branco com a caixa bicolor foi usado.

Segundo o pesquisador Menachem Grozs, nenhum dos fonogramas presentes na edição monaural equivale à mixagem original inglesa em mono, os quais permanecem inéditos no Brasil. Aqui, apenas o "stereo master tape" deste álbum foi importado da Grã-Bretanha, o qual se converteu em mono para a prensagem dos discos falsamente monofônicos. Fonograficamente, portanto, ambas as edições (mono e estéreo) são equivalentes entre si, exceto, é óbvio, relativamente à separação dos canais existente em uma e ausente em outra. Com pouquíssimas ressalvas, essa prática de a gravadora Odeon transformar "stereo mixes" em "fake mono mixes" tornar-se-ia comum em todos os lançamentos imediatos. Em compensação, a versão em estéreo já estava disponível desde o lançamento dos álbuns posteriores a Rubber soul, à exceção de A collection of Beatles oldies, editado em estéreo só em 1972.

As capas das edições em mono eram reaproveitadas para as edições em estéreo, caso em que se lhes apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante, ora dourado com letras pretas, ora preto com letras douradas, o qual inicialmente se afixava em posição horizontal; posterior e definitivamente, em posição diagonal, na parte superior, à direita.

Em 1974 foi relançado na série SBTL(X), do selo amarelo-marmorizado fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1972 para o LP 'A Collection of Beatles Oldies', e do lançamento da mesma série com idêntico selo para esta primeira prensagem do LP 'Rubber soul' em (falso) estéreo, em 1974.

A gravadora confeccionou capas laminadas também para esta edição, em cujo selo, no entanto, o título "Eleanor Rigby" está incorretamente grafado como "Eleonor Rigby".

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em estéreo, como sempre estiveram desde 1966, quando o álbum foi lançado no Brasil tanto em "true stereo" (entre 1966 e 1972) quanto em "fake mono" (entre 1966 e 1971).

__________________________________________________________
 

  

   31 - CS Michelle / Yesterday (Odeon 7BT 03 - 11/1966)

Mais um lançamento exclusivo do mercado brasileiro.

Novamente, sem capa!


__________________________________________________________
 

  

   32 - CS Yellow Submarine / Eleanor Rigby (Odeon 7BT 04 - 12/1966)

Mais um disco inglês que chegou com quatro meses de atraso, e novamente sem capa!

 

 

 

__________________________________________________________
 

   Capa plastificada do lançamento em estéreo de 1972

  

   33 - LP A Collection Of Beatles Oldies... But Goldies (Odeon BTL 1003 - 03/1967)

Lado 1: She Loves You / From Me To You / We Can Work It Out / Help! / Michelle / Yesterday / I Feel Fine / Yellow Submarine

Lado 2: Can't Buy Me Love / Bad Boy / Day Tripper / A Hard Day's Night / Ticket To Ride / Paperback Writer / Eleanor Rigby / I Want To Hold Your Hand.

Novamente o lançamento brasileiro teve uma defasagem de quatro meses. Mais um disco da série (S) BTL (X), com selo branco e caixa bicolor.

Lançamento idêntico ao inglês, com uma novidade para os fãs: a inédita Bad Boy, lançada apenas nos Estados Unidos em 1965.

Segundo pesquisador Menachem Grosz, os fonogramas contidos neste disco são, em parte, equivalentes à mixagem original inglesa em mono, embora não derivem da matriz britânica usada para o LP homônimo. Neste álbum nacional, houve, com efeito, uma compilação de "singles", EPs e LPs brasileiros anteriormente lançados. O único fonograma então inédito importado da Grã-Bretanha, para completar a seleção, foi 'Bad Boy'. Por esse motivo, as faixas 'Help!', 'Yellow submarine' e 'Eleanor Rigby' não estão nas autênticas "mono mixes" originais disponíveis no Reino Unido, visto que se extraíram de LPs e "singles" em falso mono lançados no Brasil. Se, na época, houvesse rigorosos critérios, a faixa 'Help!' deveria ter sido proveniente do EP homônimo nacional lançado em 1965, compatível com a mixagem em mono lançada no "single" inglês, entretanto o descuido da Odeon na escolha dos fonogramas induziu os produtores a optar pela matriz do LP "Help!" (falso) mono, do qual também provém a faixa 'Ticket to Ride' originária do LP "Help!" mono estadunidense, feita da versão duofônica, em vez de a gravadora valer-se do fonograma constante do "single" nacional compatível com o lançamento inglês.

As capas da última edição em mono foram reaproveitadas para a edição em estéreo, lançada em 1972, caso em que ainda se lhes apunha o adesivo triangular dourado ESTEREOFÔNICO autocolante, afixado em posição diagonal, na parte superior, à direita (foto à esquerda).

Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa continuou invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia no selo dos LPs estereofônicos. Em 1972, já se abolira da maioria das capas de outros artistas da Odeon o uso desse adesivo, substituído pelo impresso preto ESTEREOFÔNICO direto no fotolito, como no lançamento do LP "Beatles Forever". Deveria ter sido adotada a mesma tendência na capa do LP objeto desta matéria, contudo a gravadora nunca foi paradigmática nos respectivos lançamentos.

__________________________________________________________
 

  

   34 - CD Anna (Go To Him) / Chains/ Misery / I Saw Her Standing There (Odeon 7BTD 2002 - 05/1967)

Outro lançamento da Odeon com o objetivo de colocar em dia a discografia dos Beatles no Brasil. A ordem das músicas é a mesma do lançamento inglês de 1963, mas a capa é exclusiva do mercado brasileiro.

Outro fato marcante é que este disco colocou Anna como um "hit" no Brasil, principalmente com a versão de Renato e seus Blue Caps. Era uma música "nova" dos Beatles para os Brasileiros.

__________________________________________________________
 

  

   35 - CS Strawberry Fields Forever / Penny Lane (Odeon 7BT 05 - 06/1967)

Outro disco inglês que chegou com quatro meses de atraso, e sem a belíssima capa original!

__________________________________________________________
 

    Capa laminada do relançamento em estéreo de 1974

  

    36 - LP Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Odeon BTX e SBTX 1004 - 08/1967).

Lado 1: Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band / With A Little Help From My Friends / Lucy In The Sky With Diamonds / Getting Better / Fixing A Hole / She's Leaving Home / Being For The Benefit Of Mr. Kite!

Lado 2: Within You, Without You / When I'm Sixty-Four / Lovely Rita / Good Morning, Good Morning / Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (reprise) / A Day In The Life / The Inner Groove

Lançado com apenas 2 meses de atraso em relação à Inglaterra, este foi mais um lançamento da série (S) BTL (X) e o último a usar o selo branco com caixa bicolor. Foi o terceiro disco dos Beatles a ser lançado em estéreo no Brasil.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, nenhum dos fonogramas presentes na edição monaural equivale à mixagem original inglesa em mono, os quais permanecem inéditos no Brasil. Aqui, apenas o "stereo master tape" deste álbum foi importado da Grã-Bretanha, o qual se converteu em mono para a prensagem dos discos falsamente monofônicos. Fonograficamente, portanto, ambas as edições (mono e estéreo) são equivalentes entre si, exceto, é óbvio, relativamente à separação dos canais existente em uma e ausente em outra. Com pouquíssimas ressalvas, essa prática de a gravadora Odeon transformar "stereo mixes" em "fake mono mixes" tornar-se-ia comum em todos os lançamentos imediatos. Em compensação, a versão em estéreo já estava disponível desde o lançamento dos álbuns posteriores a "Rubber Soul", à exceção de 'A Collection of Beatles Oldies', editado em estéreo só em 1972.

As capas das edições em mono eram reaproveitadas para as edições em estéreo, caso em que se lhes apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante preto com letras douradas entre 1967 e 1971 e dourado com letras pretas em 1972, o qual sempre se afixava em posição diagonal, na parte superior, à direita. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos. A letra final "L" indicava capa simples; a letra final "X", capa dupla.

Inadvertidamente, no entanto, nas coletâneas The Beatles 1962-1966 e The Beatles 1967-1970, embora as capas sejam duplas, os números de catálogo terminam em "L" (e não em "X").

Em 1974 foi relançado na série SBTL(X), do selo amarelo-marmorizado fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1972 para o LP 'A Collection of Beatles Oldies', e do lançamento da mesma série com idêntico selo para esta primeira prensagem do LP 'Rubber soul' em (falso) estéreo, em 1974.

A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas, incluso o encarte para recortar.

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em estéreo, como sempre estiveram desde 1967, quando o álbum foi lançado no Brasil tanto em "true stereo" (entre 1967 e 1972) quanto em "fake mono" (entre 1967 e 1971).

__________________________________________________________
 

  

    37 - CS All You Need Is Love / Baby You're A Rich Man (Odeon 7BT 06 - 08/1967)

Lançado com apenas 1 mês de atraso em relação à Inglaterra, este foi mais um disco que veio sem foto na capa.

__________________________________________________________
 

  

   38 - CD All You Need Is Love / Baby You're A Rich Man / Penny Lane / Strawberry Fields Forever (Odeon 7BTD 2003 - 10/1967)

Um lançamento exclusivo do Brasil, numa época em que a EMI inglesa havia notificado suas afiliadas pelo mundo para que os lançamentos fossem idênticos.

Um novo selo foi usado a partir deste lançamento: ainda branco mas com uma estrela vazada, com contornos vermelhos e o logo Odeon dentro dela, junto com a caixa bicolor.

__________________________________________________________
 

  

   39 - CS Hello Goodbye / I Am The Walrus (Odeon 7BT 08 - 12/1967).

Lançado um mês depois do original inglês, este foi mais um disco sem foto na capa.

__________________________________________________________
 

  

   40 - CD Magical Mystery Tour (Odeon MMT 01/02 - 04/1968)

Disco 1: Magical Mystery Tour / Your Mother Should Know / I Am The Walrus

Disco 2: The Fool On The Hill / Flying / Blue Jay Way

Lançado com 4 meses de atraso em relação à Inglaterra, este lançamento foi fiel ao original, incluindo o livreto de 24 páginas, à cores.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, nenhum dos fonogramas constantes da edição monaural equivale à mixagem original inglesa em mono, os quais permanecem inéditos no Brasil, salvo 'l Am the Walrus', faixa anteriormente lançada em "true mono", em 1967, no single Odeon 7-BT-08 The Beatles, em dezembro. Aqui, apenas o "stereo master tape" deste álbum foi importado da Grã-Bretanha, o qual se converteu em mono para a prensagem dos compactos falsamente monofônicos. Apesar disso, na junção dos canais de 'The Fool on the Hill', criou-se, na introdução da música, um efeito distinto das duas versões (mono e estéreo) oficialmente lançadas no Reino Unido. Em compensação, a capa é fiel ao lançamento britânico e contém tanto o fascículo de 24 páginas coloridas, todavia com textos em Português, quanto a letra das seis canções do filme. No lançamento em LP, a tradução dos mesmos textos foi refeita, logo difere da edição original brasileira.

Este disco teve prensagem única, portanto não foi reeditado como compacto duplo. Seria lançado em LP, exatamente como o álbum norte-americano, só em 1976 e em estéreo, exceto as três últimas faixas do lado 2, presentes em "mock stereo" e editadas em "true stereo", no País, em 1988 apenas.

O selo foi o da "estrela vazada".

__________________________________________________________
 

  

   41 - CS Lady Madonna / The Inner Light (Odeon 7BT 09 - 06/1968)

Lançado com três meses de atraso, novamente um compacto dos Beatles foi lançado no Brasil, sem foto na capa.

__________________________________________________________
 

Capa da edição de 1975

   
    41b - LP The Beatles in Hamburg (Polydor LPG 624.005 - 08/1968)

Lado 1: Ain't Sehe Sweet / Cry For A Shadow / Let's Dance / My Bonnie / If You Love Me Baby / What'd I Say

Lado 1: Sweet Georgia Brown / The Saints (When The Saints Go Marching In) / Ruby Baby / Why / Nobody's Child / Ya Ya

fSegundo o pesquisador Menachem Grosz, foi o segundo e último lançamento dos Fab Four pela Companhia Brasileira de Discos, precedido pelo LP Polydor LPG 46.612 Twistin' mono, de 1962, bem como complementado por uma edição promocional com selo branco destinada a estações de rádio.

Nenhum dos fonogramas contidos neste disco foi lançado em "true mono" na década de sessenta em nenhum LP e EP de edição nacional em época alguma.

Trata-se do primeiro lançamento da série do selo Polydor vermelho fabricado no Brasil pela CBD cujas capas foram confeccionadas em cartolina e cerradas com fino plástico.

A capa da edição promocional não contém o texto "Gravação Histórica - O primeiro LP dos Beatles" impressa no topo, na parte branca, à esquerda, como se vê na edição comercial, caracterizada por dois selos distintos.

Em 1975, este álbum foi lançado em estéreo como volume 12 da série EDIÇÃO HISTÓRICA produzida pela Phonogram no selo Polyfar verde e em duas matérias-primas para as capas: uma era laminada na primeira prensagem; outra, resinada na segunda e última prensagem.

Embora todas as faixas deste LP sejam atribuídas a The Beatles, apenas a canção 'Ain't She Sweet' teve solo vocal executado por John Lennon. A música 'Cry For A SHadow' é um instrumental tocado pelos quatro Beatles. Além disso, as canções 'What'd I Say', 'Let's Dance', 'Ruby Baby' e 'Ya Ya' são tocadas pela banda The Beat Brothers, a qual, a despeito das afirmações de Lafayette, ex-organista de Roberto Carlos e acompanhante de quase todos os grupos e cantores do movimento Jovem Guarda, foi precursora do uso de órgão na base e no solo das respectivas músicas, gravadas em 1961.

Tony Sheridan está presente como "lead vocal" em todas as outras músicas deste álbum.

__________________________________________________________
 

  

   42 - CS Hey Jude / Revolution (Odeon 7BT 12 - 12/1968)

Lançado com quatro meses de atraso, o primeiro compacto-simples do selo Apple sai no Brasil com selo da Odeon.

Somente a partir da segunda tiragem é que o disco veio com o selo correto.

Mais um disco raro para os colecionadores estrangeiros.

__________________________________________________________
 

  

   43 - CS Hey Jude / Revolution (Apple 7BT 12 - 12/1968)

Aqui exibimos o raríssimo selo da segunda edição.

Para os brasileiros a segunda edição, lançada em 1969, é a rara, pois a primeira vendeu milhares de cópias.

(agradecimentos ao pesquisador e colecionador brasileiro Nélio Rodrigues, que gentilmente permitiu a digitalização deste disco).

__________________________________________________________
 

Selo cedido pelo colecionador Menachem Grosz.

 

 

 

 

 

   43b - CS Ob-La-Di, Ob-La-Da / Dear Prudence (Odeon DP-412 - 01/1969)

    Segundo informações do pesquisador Menachem Grosz, este compacto promocional foi editado antes do lançamento do LP The Beatles. Segue o texto completo dele:

    Constitui o segundo e último compacto simples promocional brasileiro editado em selo branco para divulgação das respectivas faixas por emissoras de rádio e contém duas canções então inéditas no Brasil, porquanto o LP The Beatles e o selo Apple ainda não haviam sido lançados no País, o que justifica a prensagem deste "single" no selo Odeon. Pela mesma razão, o single Odeon 7-BT-12 Hey Jude! / Revolution, de 1968 não foi originalmente prensado no selo Apple. Somente em sua segunda edição, já em 1969.

    Este compacto teve edições e reedições comerciais com a canção [a] Ob-La-Di, Ob-La-Da' apenas, visto que a faixa Dear Prudence seria substituída pela música While My Guitar Gently Weeps' (Apple 7 BT-16 1969)

    As faixas deste compacto são "fold downs" feitas das mixagens em estéreo, portanto estão em falso mono. As autênticas mixagens monaurais são inéditas nos lançamentos nacionais.

__________________________________________________________
 

 

   
    44 - LP The Beatles (Apple BTX 1005/6 e SBTX 1005/6 - 02/1969)

Lado 1: Back In The U.S.S.R. / Dear Prudence / Glass Onion / Ob-La-Di, Ob-La-Da / Wild Honey Pie / The Continuing Story Of Bungalow Bill / While My Guitar Gently Weeps / Hapiness Is A Warm Gun

Lado 2: Martha My Dear / I´m So Tired / Blackbird / Piggies / Rocky Raccoon / Don´t Pass Me By / Why Don´t We Do It In The Road / Julia / I Will

Lado 3: Birthday / Yer Blues / Mother´s Nature Son / Everybody´s Got Something To Hide Except Me And My Monkey / Sexy Sadie / Helter Skelter / Long Long Long

Lado 4: Revolution 1 / Honey Pie / Savoy Truffle / Cry Baby Cry / Revolution 9 / Good Night

O famoso "Álbum Branco", é lançado no Brasil com três meses de atraso. O LP foi o álbum de estreia da série (S)BTL(X) do selo Apple fabricado no Brasil pela gravadora Odeon. Segundo o pesquisador Menachem Grosz, foi o único LP nacional original desprovido da capa plastificada vulgarmente chamada de "sanduíche" utilizada nos lançamentos da Odeon até 1973 para lançamentos dos respectivos artistas e até 1972 para The Beatles.

Como atrativo para os colecionadores, a edição brasileira teve o nome THE BEATLES gravado em alto relevo na capa, coisa que nem nos EUA teve. E, surpreendentemente para os colecionadores, a primeira edição teve numeração no Brasil, em baixo relevo, nos cantor inferiores direito ou esquerdo, na horizontal ou inclinado, na contracapa (foto e informação do colecionador "Baratta dos Discos").

Em algumas cópias, a numeração era na horizontal e no canto inferior direito da capa (informação do colecionador Francisco Henrique Ribeiro).

Novamente segundo o pesquisador Menachem Grosz, excepcionalmente neste caso, a primeira edição em estéreo foi lançada concomitantemente com a segunda edição em mono. A primeira edição em mono foi, por motivos ignotos, lançada pouco tempo antes da edição em estéreo, em cujo selo a canção 'Rocky Raccoon' já se vê grafada de modo parcialmente correto como 'Rocky Raccoon' (ainda com um "c" a menos), e 'Don't Pass Me By', corretamente creditada a Richard Starkey.

Relembre-se que, na primeira edição em falso mono, a canção 'Rocky Raccoon' está incorretamente grafada no selo como 'Rockl Racoon' ("l" em vez de "y" final e um "c" a menos), e 'Don't Pass Me By' é creditada a Lennon-McCartney. Na segunda e última edição em falso mono, tais erros foram parcialmente retificados e apresentam-se como na primeira edição em estéreo.

Fonograficamente, quando os técnicos de som contratados pela gravadora procederam à junção dos canais da mixagem em estéreo, para converterem o LP em 'falso mono', ambos os discos ficaram assaz mal-equalizados, o que comprometeu as frequências graves da maiorias das faixas, bem como o baixo de Paul em várias canções. Além desse desleixo generalizado, o lado 4 apresenta consideráveis problemas com a velocidade das faixas (não apenas 'Revolution 1'). Em 'Can you take me back' (canção gravada entre 'Cry Baby Cry' e 'Revolution 9'), a voz de Paul contém oscilações muito desagradáveis de ouvir.

No cado da versão em estéreo, comparada com a prensagem inglesa, houve, no lançamento brasileiro, a inversão dos canais do áudio em estéreo. Apesar disso, o som das edições estereofônicas nacionais prensadas naquele período é bem-equalizado e livre das desastrosas oscilações de rotação registradas nas duas únicas prensagens em 'falso mono'

Em 1974 foi relançado na série SBTL(X) do selo Apple previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1971 para os LPs 'The Beatles', 'Yellow Submarine', 'Abbey Road', 'Hey Jude!', 'Let It Be' e 'Beatles Forever' em estéreo/falso estéreo.

A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas, inclusos o pôster, as quatro fotos avulsas produzidas para todas as prensagens até aquele ano e a típica numeração. Nesta edição, ainda se mantiveram tanto o erro gráfico notado na faixa 'Rocky Racoon' (ainda com um "c" a menos) presente no lado 2 do disco quanto a inversão dos canais do áudio em estéreo.

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em estéreo, como sempre estiveram desde 1969, quando o álbum foi lançado no Brasil tanto em "true stereo" (entre 1969 e 1972) quanto em "fake mono" (em 1969 apenas).

__________________________________________________________
 

  

   45 - CS Ob-La-Di, Ob-La-Da / While My Guitar Gently Weeps (Apple 7BT 16 - 03/1969)

Um disco que não foi lançado nos mercados inglês e americano, mas que fazia muito sucesso pelo mundo.

Esta é a possível explicação para seu lançamento no Brasil, pela Odeon.

__________________________________________________________
 

    Curiosidade sobre as capas da edição brasileira: falta um braço nas duas mulheres no alto à esquerda, uma mão na frente destas duas mulheres também foi suprimida, as roupas perderam o tom vermelho (censura?) e falta uma pétala na tulipa no rodapé da margem branca

  

    46 - LP Wonderwall - O Muro das Maravilhas (Apple APCOR 1 e SAPCOR-1 - 04/1969)

Lado 1: Microbes / Red Lady Too / Tabla And Pakajav / In The Park / Drilling A Home / Guru Vandana / Greasy Legs / Ski-ing / Gat Kirwani / Dream Scene

Lado 2: Party Seacombe / Love Scene / Crying / Cowboy Music / Fantasy Sequins / On The Bed / Glass Box / Wonderwall To Be Here / Singing Om

O primeiro álbum solo de George Harrison, Wonderwall  sai no Brasil com cinco meses de atraso e com o título também aparecendo traduzido. Logo saiu de catálogo e nunca mais foi editado. Trata-se do primeiro e único LP da carreira-solo dos Fab Four emitido na série (S)APCOR do selo Apple fabricado no Brasil pela gravadora Odeon.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, as versões 'falso mono' e estéreo foram concomitantemente lançados no mesmo mês.

Nenhum dos fonogramas contidos nesta edição monaural brasileira corresponde à autêntica mixagem britânica em mono, os quais permanecem inéditos no Brasil. Aqui, apenas o "stereo master tape" deste álbum foi importado da Grã-Bretanha, o qual se converteu em mono para a prensagem dos discos falsamente monofônicos.

Fonograficamente, portanto, ambas as edições (mono e estéreo) são equivalentes entre si, exceto, é óbvio, relativamente à separação dos canais existente em uma e ausente em outra.

A capa da edição em mono era reaproveitada para as edições em estéreo, caso em que se lhe apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante invariavelmente preto com letras douradas, o qual sempre se afixava em posição diagonal, quase no topo, à direita, abaixo do termo Apple. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "A", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

__________________________________________________________
 

    Capa laminada do relançamento em estéreo de 1974

  

    47 - LP Yellow Submarine (Apple BTL 1007 e SBTL 1007 - 04/1969)

Lado 1: Yellow Submarine / Only A Northern Song / All Together Now / Hey Bulldog / It´s All Too Much / All You Need Is Love

Lado 2 (George Martin Orchestra): Pepperland / Sea Of Time / Sea Of Holes / Sea Of Monsters / March Of The Meanies / Pepperland Laid Waste / Yellow Submarine In Pepperland

Lançado com três meses de atraso, a trilha sonora do desenho animado foi lançada aqui em sua versão inglesa. As versões "falso mono" e estéreo foram lançadas ao mesmo tempo. A edição em "falso mono" teve, no Brasil, prensagem única e apenas uma faixa em "mono verdadeiro", 'Only A Northern Song', porque os Beatles lançaram em mono apenas,

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, fonograficamente, comparada com a prensagem britânica também lançada em "falso mono", verificam-se, na edição brasileira, na faixa 'Hey Bulldog', perdas dos níveis das frequências agudas emitidas pelo "hit-hat" de Ringo durante as frases "You can talk to me / You can talk to me / You can talk to m / If you're lonely, you can talk to me", como evidente falha no processo de produção da prensagem brasileira.
Na edição nacional, houve, como no Álbum branco, a inversão dos canais do áudio em estéreo. Apesar disso, o som das edições estereofônicas nacionais prensadas naquele período é bem-equalizado e isento da comentada alteração dos níveis agudos registrada na prensagem em falso mono. A faixa 'Only A Northern Song' está em "mock stereo" e permaneceu, em todo o mundo, inédita em estéreo até 1999, quando se lançou, na Inglaterra e em alguns países, o LP 'Yellow Submarine' - a nova trilha sonora, indisponível no Brasil.

A capa da edição em mono era reaproveitada para as edições em estéreo, caso em que se lhe apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante preto com letras douradas em 1969 e dourado com letras pretas entre 1970 e 1972, o qual sempre se afixava em posição diagonal, na parte superior, à direita. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

Em 1974 foi relançado na série SBTL(X) do selo Apple previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1971 para os LPs 'The Beatles', 'Yellow Submarine', 'Abbey Road', 'Hey Jude!', 'Let It Be' e 'Beatles Forever' em estéreo/falso estéreo.

A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas. À exceção de 'Only a Northern Song', todos os fonogramas contidos neste LP estão em estéreo, como sempre estiveram desde 1969, quando o álbum foi lançado no Brasil tanto em "true stereo" (entre 1969 e 1972) quanto em "fake mono" (em 1969 apenas), desfeita a inversão dos canais do áudio em estéreo, a qual se notava desde a primeira prensagem deste LP até 1972.

__________________________________________________________
 

  

   48 - CS Get Back / Don´t Let Me Down (Apple 7BT 17 - 05/1969)

O primeiro lançamento do "Projeto Get Back" é lançado no Brasil quase que simultâneamente, com menos de um mês de defasagem.

Algumas cópias vieram sem o nome de Billy Preston, como na foto ao lado.

A foto de baixo já veio com o nome do tecladista, que tocou no projeto Get Back, em Janeiro de 1969.

Pela letra usada nos créditos de fabricação, em torno do disco, percebe-se que são edições bem diferentes.

__________________________________________________________
 

  

   49 - CS The Ballad Of John And Yoko / Old Brown Shoe Apple 7BT 21 - 07/1969)

Com quase dois meses de atraso, este foi mais um disco em que a Odeon mixava os dois canais estereofônicos das fitas que recebia, e "criava" uma versão mono.

Estes discos tornaram-se peças de colecionadores no mundo.

__________________________________________________________
 

  

   50 - CS Give Peace A Chance / Remember Love (Apple 7BT 24 - 09/1969)

O primeiro disco da Plastic Ono Band, banda virtual criada por John e Yoko, é lançado no Brasil, sem foto na capa.

__________________________________________________________
 

    Capa laminada do relançamento em estéreo de 1974

  

    51 - LP Abbey Road (Apple BTL 1008 e SBTL 1008 - 11/1969)

Lado 1: Come Together / Something / Maxwell´s Silver Hammer / Oh! Darling / Octopus´s Garden / I Want You (She´s So Heavy)

Lado 2: Here Comes The Sun / Because / You Never Give Me Your Money / Sun King / Mean Mr. Mustard / Polythene Pam / She Came In Through The Bathroom Window / Golden Slumbers-Carry That Weight / The End / Her Majesty

Lançado com dois meses de atraso, as duas versões, "falso mono" e estéreo, forma lançadas juntas o último LP gravado pelos Beatles novamente tornou-se peça de colecionadores pelo mundo. O motivo era a prática da Odeon de mixar as fitas estereofônicas para criar versões mono.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, na produção da versão em (falso) mono, durante o processo de junção dos canais das mixagens em estéreo, houve uma sucessão de problemas interferentes em significativas parcelas dos elementos registrados e, como consequência, comprometedores da qualidade das gravações.

O baixo volume do solo de 'Come Together', da guitarra de 'Oh! Darling' e do órgão de 'I Want You (Sshe's So Heavy)', bem como a quase supressão das palmas de 'Here Comes the Sun', da voz de Paul em 'You Never Give Me Your Money', nos versos "Out of college, money spent / See no future, pay no rent / All the money's gone, nowhere to go", e da bateria em trechos de 'Golden Slumbers/Carry That Weight' são alguns clássicos exemplos do despreparo dos técnicos e engenheiros de som contratados pela gravadora Odeon.

Pior foi que, desde o lançamento, em 1969, até 1972, ano da última prensagem do disco em (falso) mono, houve a reincidência dos apontados defeitos.

As capas das edições em mono eram reaproveitadas para as edições em estéreo, caso em que se lhes apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante imutavelmente dourado com letras pretas, o qual sempre se afixava em posição diagonal, na parte superior, à direita. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

O título da faixa 'Her Majesty', originalmente ausente na contracapa e no selo do LP brasileiro, como o é no álbum original britânico, passou a figurar no rótulo das reedições contadas de 1971.

Em 1974 foi relançado na série SBTL(X) do selo Apple previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1971 para os LPs 'The Beatles', 'Yellow Submarine', 'Abbey Road', 'Hey Jude!', 'Let It Be' e 'Beatles Forever' em estéreo/falso estéreo. A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas.

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em estéreo, como sempre estiveram desde 1969, quando o álbum foi lançado no Brasil tanto em "true stereo" (entre 1969 e 1972) quanto em "fake mono" (entre 1969 e 1972), desfeita a inversão dos canais do áudio em estéreo, a qual se notava desde a primeira prensagem deste LP até 1972..

__________________________________________________________
 

  

   52 - CS Something / Come Together (Apple 7BT 26 - 12/1969)

Mais uma vez tivemos lançado no Brasil, um compacto com falso sistema monofônico, e sem foto na capa.

__________________________________________________________
 

  

   53 - CS Cold Turkey / Don´t Worry Kyoko (Apple 7BT 29 - 12/1969)

O segundo disco da Plastic Ono Band era lançado no Brasil, em mono.

__________________________________________________________
 

  

   54 - CS Instant Karma / Who Has Seen The Wind? (Apple 7BT 32 - 02/1970)

O terceiro compacto solo de John é lançado no Brasil, em mono, quase que simultaneamente com a Inglaterra.

__________________________________________________________
 

    Capa laminada do relançamento em estéreo de 1974

  

    55 - LP Hey Jude (Apple BTL 1009 e SBTL 1009 - 03/1970

Lado 1: Can´t Buy Me Love / I Should Have Known Better / Paperback Writer / Rain / Lady Madonna / Revolution

Lado 2: Hey Jude / Old Brown Shoe / Don´t Let Me Down / The Ballad Of John And Yoko

Um disco americano considerado uma das melhores compilações de sucessos dos Beatles. As versões mono e estéreo foram lançadas simultâneamente.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, todos os fonogramas contidos neste álbum, os quais se extraíram dos "singles" nacionais anteriormente lançados, estão nas autênticas mixagens em mono, exceto as faixas 'The Ballad of John and Yoko' e 'Old Brown Shoe', ambas mixadas em estéreo apenas, estando em 'falso nomo',

As capas das edições em mono eram reaproveitadas para as edições em estéreo, caso em que se lhes apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante invariavelmente dourado com letras pretas, o qual, consoante a edição, afixava-se em diferentes posições, a saber: na parte superior, à direita, cerca de um centímetro abaixo do número de catálogo BTL 1009; no topo, à direita, parcialmente sobre o número 9 do código de catálogo BTL 1009; na parte superior, à esquerda. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

Em 1972, no relançamento da edição em mono, algumas capas da edição em estéreo produzidas em excesso contêm o adesivo triangular MONAURAL autocolante invariavelmente dourado com letras pretas, usado para encobrir o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO sobreposto de fábrica ao fotolito.

Em 1974 foi relançado na série SBTL(X) do selo Apple previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1971 para os LPs 'The Beatles', 'Yellow Submarine', 'Abbey Road', 'Hey Jude!', 'Let It Be' e 'Beatles Forever' em estéreo/falso estéreo. A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas.

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em estéreo, como sempre estiveram desde 1970, quando o álbum foi lançado no Brasil tanto em "true stereo" (entre 1970 e 1972) quanto em "true mono/fake mono" (entre 1970 e 1972), desfeita a inversão dos canais do áudio em estéreo, a qual se notava desde a primeira prensagem deste LP até 1972.

Diferentemente dos LPs 'Beatlemania', 'Beatles Again', 'The Beatles 65' e 'Help!' de capa branca com tarja vermelha, os quais saíram de catálogo em 1974, este álbum e os LPs 'Os Reis do Ié, Ié, Ié!' e 'Beatles Frever' continuariam sendo reeditados até 1985.

__________________________________________________________
 

    Capa do relançamento em estéreo de 1978

   56 - LP Live Peace In Toronto (Apple BTL 1010 e SBTL 1010 - 04/1970)

Lado 1: Blue Suede Shoes / Money (That´s What I Want) / Dizzy Miss Lizzie / Yer Blues / Cold Turkey / Give Peace A Chance

Lado 2: Don´t Worry Kyoko (Mummy´s Only Looking For Her Hand In The Snow) / John John (Let´s Hope For Peace)

Mais um disco da banda de John Lennon, agora "real", com as participações de Eric Clapton, Klaus Voormann e Alan White, na íntegra do show apresentado no dia 12 de setembro, em Toronto, no Canadá.

As edições em mono e estéreo foram lançadas simultâneamente. Ambas as versões tiveram, no Brasil, prensagem única em capa plastificada. Em 1976, houve o relançamento do LP em estéreo, no entanto com outro número de catálogo e em capa de papelão.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, a capa da edição em mono era reaproveitada para a edição em estéreo, caso em que se lhe apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante imutavelmente dourado com letras pretas, o qual sempre se afixava em posição diagonal, na parte superior, à direita. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

Em 1978 foi relançado em estéreo, selo Apple sem letras cursivas, e com nova numeração, 31C 064 90877.

 

__________________________________________________________
 

  

   57 - CS Let It Be / You Know My Name (Look Up The Number) (Apple 7BT 31 - 04/1970)

Enquanto que, na Inglaterra, Paul McCartney anunciava nos jornais o fim dos Beatles, saía no Brasil este disco. ...Com um mês de atraso.

Era uma prévia da trilha sonora do último filme do grupo.

__________________________________________________________
 

  

    58 - LP McCartney (Apple BTX 1011 e SBTX 1011 - 05/1970)

Lado 1: The Lovely Linda / That Would Be Something / Valentine Day / Every Night / Hot As Sun-Glasses-Suicide / Junk / Man We Was Lonely

Lado 2: Oo You / Momma Miss America / Teddy Boy / Singalong Junk / Maybe I´m Amazed / Kreen Akrore

O primeiro disco solo de Paul saiu no Brasil com apenas um mês de atraso em relação à Inglaterra. As versões mono e estéreo foram lançadas simultâneamente e tiveram três prensagens.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, as capas das edições em mono eram reaproveitadas para as edições em estéreo, caso em que se lhes apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante invariavelmente dourado com letras pretas, o qual, consoante a edição, afixava-se em diferentes posições, a saber: no topo, à direita, cerca de dois centímetros de recuo do número de catálogo BTX 1011 em linha reta; na parte superior, à direita, cerca de meio centímetro abaixo do topo. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

Em 1972, no relançamento da edição em mono, algumas capas contêm o adesivo triangular MONAURAL autocolante invariavelmente dourado com letras pretas cerca de meio centímetro abaixo do topo, na mesma posição da reedição em estéreo prensada no mesmo ano.

Este foi o primeiro lançamento da carreira-solo em capa dupla laminada.

__________________________________________________________
 

  

    59 - LP Sentimental Journey (Apple BTL 1012 e SBTL 1012 - 06/1970)

Lado 1: Sentimental Journey / Night And Day / Whispering Grass (Don´t Tell The Trees) / Bye Bye Blackbird / I´m A Fool To Care / Stardust

Lado 2: Blue Turning Grey Over You / Love Is A Many Splendoured Thing / Dream / You Always Hurt The One You Love / Have I Told You Lately That I Love You / Let The Rest Of The World Go By

O primeiro disco de Ringo saiu com três meses de atraso no Brasil, com as edições em 'falso mono' e estéreo lançadas simultâneamente. Cada uma teve três pensagens e, em 1976, houve um relançamento da versão estéreo.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, as capas das edições em mono eram reaproveitadas para as edições em estéreo, caso em que se lhes apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante preto com letras douradas entre 1970 e 1971 e dourado com letras pretas em 1972. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

Em 1972, no relançamento da edição em mono, algumas capas contêm o adesivo triangular MONAURAL autocolante invariavelmente dourado com letras pretas..

 

__________________________________________________________
 

    Capa laminada do relançamento em estéreo de 1974

  

    60 - LP Let It Be (Apple BTL 1013 e SBTL 1013 - 07/1970)

Lado 1: Two Of Us / Dig A Pony / Across The Universe / I Me Mine / Dig It / Let It Be / Maggie Mae

Lado 2: I´ve Got A Feeling / One After 909 / The Long And Winding Road / For You Blue / Get Back

Com dois meses de atraso chegava ao Brasil o novo (e último) lançamento dos Beatles. Não era o último gravado, pois este foi finalizado em janeiro de 1969, arquivado, e mais tarde trazido à tona, sofrendo overdubs e regravações, e não trouxe a caixa nem o livro de fotos "Get Back", como na edição original inglesa e de outros países.

As duas versões, 'falso mono' e estéreo, foram lançadas simultâneamente, com três prensagens. Segundo o pesquisador Menachem Grosz, as capas das edições em mono eram reaproveitadas para as edições em estéreo, caso em que se lhes apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante invariavelmente dourado com letras pretas entre 1970 e 1971, o qual foi substituído pelo impresso triangular ESTEREOFÔNICO dourado nas edições em estéreo relançadas em 1972.

É a única edição da capa em cujo fotolito se aboliu esse adesivo para a inclusão do impresso em referência. Ainda em 1972, no relançamento da edição em mono, tais capas da reedição em estéreo contêm o adesivo triangular MONAURAL autocolante invariavelmente dourado com letras pretas, usado para encobrir o impresso triangular ESTEREOFÔNICO prensado de fábrica.
Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

Em 1974 foi relançado na série SBTL(X) do selo Apple previamente fabricado no Brasil pela gravadora Odeon em 1971 para os LPs 'The Beatles', 'Yellow Submarine', 'Abbey Road', 'Hey Jude!', 'Let It Be' e 'Beatles Forever' em estéreo/falso estéreo. A gravadora confeccionou também para esta edição nacional capas laminadas

Todos os fonogramas contidos neste LP estão em estéreo, como sempre estiveram desde 1970, quando o álbum foi lançado no Brasil tanto em "true stereo" (entre 1970 e 1972) quanto em "fake mono" (entre 1970 e 1972).

__________________________________________________________
 

  

   61 - CS The Long And Winding Road / For You Blue (Apple 7BT 37 - 08/1970)

Este disco americano foi o último lançamento dos Beatles, no ano de sua separação, no Brasil.
__________________________________________________________
 

  

   62 - LP Beaucoups Of Blues (Apple BTX 1014 e SBTX 1014 - 09/1970)

Lado 1: Beaucoups Of Blues / Love Don´t Last Long / Fastest Growing / Heartache In The West /Without Her / Woman Of The Night / I´d Be Talking All The Time

Lado 2: $15 Draw / Wine Women And Loud Happy Songs / I Wouldn´t Have You Any Other Way / Loser´s Lounge / Waiting / Silent Homecoming

O segundo disco solo de Ringo, totalmente country, foi lançado simultâneamente no Brasil. As edições em 'falso mono' e estéreo foram lançadas juntas, com três prensagens. Em 1976, houve também o relançamento do LP em estéreo, no entanto com outro número de catálogo.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, as capas das edições em mono eram reaproveitadas para as edições em estéreo, caso em que se lhes apunha o adesivo triangular ESTEREOFÔNICO autocolante preto com letras douradas entre 1970 e 1971 e dourado com letras pretas em 1972. Por essa razão, o número de catálogo alfanumérico impresso na capa permanecia invariável, sem que a letra "S" precedesse a letra "B", como se imprimia nos selos dos LPs estereofônicos.

Em 1972, no relançamento da edição em mono, algumas capas contêm o adesivo triangular MONAURAL autocolante invariavelmente dourado com letras pretas.

__________________________________________________________
 

  

   63 - CS Beaucoups Of Blues / Coochy Coochy (Apple 7BT 40 - 10/1970)

O primeiro compacto-simples de Ringo, com uma inédita no lado B, sai no Brasil.

Mais uma vez, o lançamento foi simultâneo, desta vez com os Estados Unidos.

 

 

__________________________________________________________
 
 

    

Os Selos da Odeon usados nos
discos dos Beatles até 1970

Long Plays

  

   Polydor Azul - 1964

Selo do raríssimo LP 'Twistin'', lançamento local da Polydor.

__________________________________________________________

  

   Odeon ALTA FIDELIDADE Azul - 1964

Os primeiros LPs dos Beatles, pela Odeon, foram lançados com este selo. A palavra "Alta Fidelidade" vinha em caixa alta, no lado direito do selo.

Todos os LPs do ano de 1964, 'Beatlemania' e 'Beatles Again', e 'Os Reis do Ié-Ié-Ié', de janeiro de 1965, vieram com este selo e são os mais valiosos atualmente no mercado de colecionadores (cerca de 120 Euros).

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, a primeira edição do LP 'Beatlemania' não veio com o (P) 1964 impresso no canto superior esquerdo. As edições seguintes traziam a data.

__________________________________________________________

  

   Odeon MONO Azul - 1965

Em abril de 1965, a Odeon trocou o selo de seus discos. Todos os novos lançamentos vieram com a palavra "Mono" no lado direito do selo.

O LP "The Beatles' 65" (janeiro 65), foi o primeiro lançamento com o novo selo, que durou até o LP "Help" (dezembro de 1965).

Os discos 'Beatlemania', 'Beatles Again' e 'Os Reis do Ié-Ié-Ié' foram todos relançados usando o novo selo. São os LPs encontrados com mais facilidade pelos colecionadores, alcançando preços mais baixos (cerca de 80 Euros).

 

Ao lado, um variação do mesmo selo, provavelmente por alguma mudança de gráfica ou descuido do tipógrafo da Odeon. A diferença marcante está na palavra MONO.

(selos cedidos pelo colecionador Gilvan Moura "BaldBeatle")

 

 

 

Ao lado, outra variação do mesmo selo, novamente por outra mudança de gráfica ou mais um descuido do tipógrafo da Odeon. A diferença marcante está na palavra MONO, agora mais perto do centro.

(selo cedido pelo colecionador Edvaldo Junior)

 

 

 

 

Ao lado, o raríssimo selo da primeira edição em "Stereo" de um disco dos Beatles no Brasil.

(selo cedido pelo colecionador Francisco Henrique Ribeiro)

 

 

 

Ao lado, o raríssimo selo "verde petróleo" de um disco dos dois disco dos Beatles lançados com esta cor, diferente do azul marinho ou do azul claro normais. Usado em "Beatles' 65" e "Help!".

(selos cedidos pelo pesquisador Menachem Grosz)

__________________________________________________________

  

   Odeon BRANCO no alto - 1966 e 1967

Em 1966 mais uma mudança nos selos da Odeon. Agora passaram a ser brancos, com a palavra Odeon dentro de um retângulo bicolor. E no alto, o logo da empresa, em relevo branco.

O LP "Rubber Soul" (janeiro 1966), foi o primeiro lançamento com o novo selo, que durou até a primeira edição do LP 'Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band' (junho 1967).

Os valores para este selo continuam caindo, agora a 50 Euros.

__________________________________________________________

  

   Odeon ESTRELA BRANCA/VERMELHA - 1967 e 1968

Em dezembro de 1967 a Odeon mudou mais uma vez o selo, trazendo agora o mesmo logo retangular, desta vez dentro de uma estrela de bordas vermelhas. O branco ainda era a cor predominante do selo.

A segunda edição do LP "Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band" veio com o novo selo.

Este selo durou até junho de 1968, sendo usada nos relançamentos dos discos 'Rubber Soul', 'Revolver', ' A Collection of Beatles Oldies...' e 'Sgt Pepper's...', feitos no ano.

__________________________________________________________

   Odeon ESTRELA BRANCA/VERMELHA - 1968

Em junho de 1968 a Odeon mudou outra vez o selo, trazendo somente o logo da empresa dentro da estrela de bordas vermelhas.

O relançamento do LP "Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band" veio com o novo selo.

Este selo durou até dezembro de 68, sendo usado nos relançamentos dos discos 'Rubber Soul', 'Revolver', ' A Collection of Beatles Oldies...' e 'Sgt Pepper's...', feitos no ano.

Estes discos serão relançados apenas com o selo Marmorado Amarelo, em 1972.

__________________________________________________________

  

   Odeon ESTRELA AZUL - 1968 a 1969

Os relançamentos dos discos 'Beatlemania', 'Beatles Again', 'Os Reis do Ié-Ié-Ié', 'Beatles' 65' e 'Help!', a partir de dezembro de 1968, vieram com este selo, que era o anterior agora com a estrela azul e o retângulo acompanhando as cores.

Nenhum novo lançamento veio neste selo pois os novos discos eram agora do selo Apple.

No final de 1969 um novo selo substituiria este.

__________________________________________________________

 

  

   Apple - 1968 até o final da era dos vinis

No Brasil, todos os discos lançados a partir de dezembro de 1968, vieram com o selo Apple.

A única exceção foi exatamente a primeira edição do compacto Hey Jude, que veio com a estrela vermelha da Odeon. Este disco é disputado pelos colecionadores estrangeiros.

A segunda edição, já com selo Apple é rara para os brasileiros.

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, o selo Apple fabricado no Brasil pela gravadora Odeon, era pouco semelhante à estampa original inglesa lançada pela EMI britânica, notadamente nestas características: dimensão, silhueta e cor da maçã; presença da palavra Apple sempre impressa no selo; e formato das letras cursivas presentes nos créditos perimetrais.

__________________________________________________________

   Polydor - 1968

Selo promocional branco do relançamento das gravações dos Beatles em Hamburgo.

 

 

 

 

 

Selo Polydor vermelho, o primeiro lançamento desta série, fabricada no Brasil pela CBD, usado no disco 'The Beatles in Hamburg'.

 

 

 

 

 

__________________________________________________________

  

   Odeon ESTRELA AZUL "sem retângulo" - 1969 a 1971

No final de 1969, os relançamentos dos discos 'Beatlemania', 'Beatles Again', 'Os Reis do Ié-Ié-Ié', 'Beatles' 65' e 'Help!', passaram a vir com este novo selo, quase idêntico ao anterior. A única diferença foi a troca do retângulo com o nome Odeon pelo logo dentro da estrela.

Mas novas mudanças aguardavam os colecionadores brasileiros a partir de 1972!

__________________________________________________________
 

  

  Compactos Simples

  

   Odeon ALTA FIDELIDADE Amarelo - 1963 a 1964

Os primeiros compactos dos Beatles, pela Odeon, foram lançados com este selo. A palavra "Alta Fidelidade" vinha em caixa alta, no canto inferior do selo.

O compacto "Please Please Me / From Me To You" (dezembro 1963), foi o primeiro lançamento com o novo selo, que durou até o compacto "A Hard Day's Night / I Should Have Known Better" (dezembro 1964).

São os mais valiosos atualmente no mercado de colecionadores (cerca de 50 Euros).

 

__________________________________________________________

  

   Odeon AMARELO - 1965

No ano de 1965, a Odeon trocou o selo dos compactos. Todos os novos lançamentos vieram com o selo amarelo.

O compacto "I Feel Fine / If I Fell" (abril 1965), foi o primeiro lançamento com o novo selo, que durou até o compacto "Ticket to Ride / This Boy " (outubro 1965).

Os discos dos anos anteriores foram todos relançados usando o novo selo. São compactos encontrados com mais facilidade pelos colecionadores, alcançando preços mais baixos (cerca de 30 Euros).

Apenas os dois selos "promocionais" usados em 1965, alcançam 50 Euros.

Ao lado o primeiro selo promocional, usado apenas neste compacto.

 

 

 

 

 

Ao lado o segundo selo promocional, usado nos compactos lançados em 1965.

 

__________________________________________________________

 

  

   Odeon BRANCO no alto - 1966 a 1967

Em 1966 houve mais uma mudança nos selos. Todos os novos lançamentos agora passaram a ter selo branco, com a palavra Odeon dentro de um retângulo bicolor. E no alto, o logo da empresa, em relevo branco.

O compacto "Day Tripper / We Can Work It Out" (junho 66), foi o primeiro lançamento com o novo selo, que durou até o compacto "All You Need Is Love / Baby You're A Rich Man" (agosto 67).

Os discos dos anos anteriores foram todos relançados usando o novo selo. São compactos encontrados com mais facilidade pelos colecionadores, alcançando preços mais baixos (cerca de 30 Euros).

Apenas os selos "promocionais" usados entre 1966 e 1967, alcançam 50 Euros.

Ao lado, um raro selo promocional de 1966.

 

__________________________________________________________

  

   Odeon ESTRELA BRANCA/VERMELHA - 1967 a 1968

Em dezembro de 1967 a Odeon mudou mais uma vez o selo, trazendo agora o mesmo logo retangular, desta vez dentro de uma estrela de bordas vermelhas. O branco ainda era a cor predominante do selo.

O compacto "Hello Goodbye / I Am the Walrus" (dezembro 67), foi o primeiro lançamento com o novo selo, que durou até a primeira edição do compacto "Hey Jude / Revolution" (dezembro 68), erradamente lançado sem o selo Apple.

Os discos dos anos anteriores foram todos relançados usando o novo selo. São compactos encontrados com mais facilidade pelos colecionadores, alcançando preços mais baixos (cerca de 20 a 30 Euros).

A primeira edição do "Hey Jude" é valorizada fora do Brasil, alcançando mais de 50 Euros. Mas a segunda é que vale muito para os brasileiros, pois é mais rara.

Ao lado, um raro selo promocional branco de 1968, cedido pelo colecionador Menachem Grosz.

 

__________________________________________________________

 

  

     Apple - 1968 até o final da era dos vinis

No Brasil, todos os compactos lançados a partir de dezembro de 68, vieram com o selo Apple.

A exceção foi exatamente a primeira edição do compacto "Hey Jude", que veio com a estrela vermelha da Odeon. Este disco é disputado pelos colecionadores estrangeiros.

A segunda edição, já com selo Apple é rara para os brasileiros

__________________________________________________________

  

   Odeon ESTRELA AZUL - 1969

Mais um selo, parecido com o anterior. A estrela agora era azul e o retângulo acompanhando as cores.

Nenhum novo lançamento veio neste selo pois os novos discos eram todos do selo Apple. Apenas relançamentos usaram o selo Odeon.

No final de 69 um novo selo substituiria este

São os discos muito fáceis de se encontrar, com preços baixos, abaixo de 20 Euros, apesar do bom estado de conservação.

 

__________________________________________________________

  

  Odeon ESTRELA AZUL "sem retângulo" - 1969 a 1971

No final de 1969 os relançamentos passaram a vir com este novo selo, quase idêntico ao anterior. A única diferença foi a troca do retângulo com o nome Odeon pelo logo dentro da estrela.

__________________________________________________________
 

  

  Compactos Duplos

  

    Polydor VERMELHO - 1964

Segundo o pesquisador Menachem Grosz, o compacto-duplo 'The Beatles com Tony Sheridan' (Polydor DCP 621.517 ) teve a primeira edição prensada em 1964, identificada pela presença do logotipo vermelho e branco Polydor com a expressão "33 1/3 Duplo Compacto 33 1/3" escrita abaixo e com sete estrelas douradas impressas acima. Este compacto duplo seria reeditado em 1968, quando saiu de catálogo.

 

__________________________________________________________

 

    Odeon ALTA FIDELIDADE Azul - 1964

Os primeiros compactos duplos s dos Beatles, pela Odeon, foram lançados com este selo. A palavra "Alta Fidelidade" vinha em caixa alta, no lado canto inferior do selo.

O compacto-duplo "Twist and Shout" (julho 64) foi o primeiro a vir com este selo, que foi usado até o compacto-duplo "I Want To Hold Your Hand" (setembro 64).

Todos os CSs do ano de 1964 vieram com este selo e são os mais valiosos atualmente no mercado de colecionadores (cerca de 50 Euros).

__________________________________________________________

 

    Odeon AZUL - 1965 a comecinho de 1966

No ano de 1965, a Odeon trocou o selo dos compactos-duplos. Todos os novos lançamentos vieram com selo azul.

O compacto-duplo "A Hard Day's Night" (fevereiro 65) foi o primeiro a vir com este selo, que foi usado até o compacto-duplo "You Like Me Too Much " (janeiro 66).

Os discos anteriores foram todos relançados usando o novo selo.

 

__________________________________________________________

 

    Odeon BRANCO no alto - 1966 a 1967

Em 1966 houve mais uma mudança nos selos. Todos os novos lançamentos agora passaram a ter selo branco, com a palavra Odeon dentro de um retângulo bicolor. E no alto, o logo da empresa, em relevo branco.

O compacto-duplo "Yesterday" (outubro 66), foi o primeiro lançamento com o novo selo, que durou até o compacto-duplo "Anna (maio 67).

Os discos dos anos anteriores foram todos relançados usando o novo selo.

__________________________________________________________

  

   Odeon ESTRELA BRANCA/VERMELHA - 1967 a 1968

Em dezembro de 1967 a Odeon mudou mais uma vez o selo, trazendo agora o mesmo logo retangular, desta vez dentro de uma estrela de bordas vermelhas. O branco ainda era a cor predominante do selo.

O compacto-duplo "All You Need Is Love" (outubro 67), foi o primeiro lançamento com o novo selo, que durou até o compacto-duplo "Magical Mystery Tour" (abril 68), o último no formato lançado no Brasil.

Os discos dos anos anteriores foram todos relançados usando o novo selo.

__________________________________________________________

 

   Odeon ESTRELA AZUL - 1969

Mais um selo, parecido com o anterior. A estrela agora era azul e o retângulo acompanhando as cores.

Nenhum novo lançamento veio neste selo pois não foram mais lançados compactos-duplos dos Beatles no Brasil. Apenas relançamentos usaram o selo Odeon.

No final de 69 um novo selo substituiria este

__________________________________________________________

 

  Odeon ESTRELA AZUL "sem retângulo" - 1969 a 1971

No final de 1969 os relançamentos passaram a vir com este novo selo, quase idêntico ao anterior. A única diferença foi a troca do retângulo com o nome Odeon pelo logo dentro da estrela.