Mensagem para George Harrison
Discografia Brasileira
Discos no Mundo
Raridades em estéreo
Curiosidades Fonográficas
Instrumentos
Os Livros
Entrevistas
George Martin no Brasil
Vídeos

CLIQUE NOS ÍCONES ACIMA PARA ACESSAR A REDE

OU VOLTE AO INÍCIO

INSTRUMENTOS

 

 

   Os Beatles e suas guitarras (e baterias!)

Os Instrumentos que criaram um Sonho.


Sétima parte - 1966

   

__________________________________________________________

.

.

 

    103 - Bateria Ludwig:

Acabamento: "Black Oyster Pearl"
Modelo: Downbeat
Início de Uso: Novembro de 1965
Fim de Uso: Julho de 1968
Destino: Ringo possui esta bateria até hoje.

Logo original: "Drop-T n° 6"
Peles: Ludwig "Weather Master"
Bumbo: 22"x 14"
Surdo: 16"x 16"
Tom-tom: 13"x 9 "
Caixa: 14"x 5 - Jazz Festival"
Ride: Zildjian Avedis 20"
Crash: Zildjian Avedis 18"
Hi-Hat: Zildjian Avedis 14"

 

    A mesma bateria do ano anterior continuou sendo usado ao vivo e em estúdio. E com o mesmo Logo n° 6, que foi o mais usado por Ringo

   .

__________________________________________________________

.

 

 

 

 

 

  104 - Amplificadores Vox UL730:

Donos: John e George
Início de Uso: Abril de 1966
Fim de Uso: Final das gravações do Magical Mystery Tour
Potência: 120 Watts
Alto-Falantes: Dois "Silver Alnico" Celestion, de 12"

 

    Com sua peculiar seção modular pré-amplificador solid-state e um amplificador valvulado de saída, a Vox caminhava para adotar o solid-state na Inglaterra.

    Os Beatles se beneficiaram desta arrancada tecnológica e traziam as inovações para seus discos.

    John e George usaram quase que exclusivamente os 730 nas gravações do album Revolver e nas primeiras gravações do Sgt Pepper's, ainda em 1966.

    O tom destes amplicadores é apreciado em músicas como She Said, She Said.

__________________________________________________________

    105 - Amplificadores Fender Showman:

Donos: John e George
Início de Uso: Abril de 1966
Fim de Uso: Ao final das sessões de Revolver, em Junho
Potência: 85 Watts
Alto-Falantes: um JBL D130F de 15"

 

    O grupo iniciava suas experiências no estúdio, recusando fazer turnês enormes como em 1964-1965.

    Com isso, novos amplificadores foram trazidos para Abbey Road. O acordo com a Jennings impedia outros amplificadores que não os Vox nas apresentações ao vivo. 

    John e George usaram os novos Fender Showman durante as gravações de Revolver. Gostaram muito, pois eram amplificadores pequenos e possantes.

   O preço destes amplificadores foi de £ 235 (£ 2.540 em valores atuais).

 

    Na foto ao lado vemos o grupo em estúdio, com os dois amplificadores na frente de John. Ao fundo, um Vox UL730.

 

 

 

 

 

 

 

 

__________________________________________________________

    

    

  195b - Amplificadores Fender Bassman 6G6-B:

Donos: John e George
Início de Uso: Maio de 1966
Fim de Uso: Ao final das sessões do White Album, em 1968
Potência: 50 Watts
Alto-Falantes: Dois JBL D130F de 12"

 

      Paul "brincou" com o novo amplificador que a Fender mandou para eles.

      O preço destes amplificadores seria de £ 235 (£ 2.540 em valores atuais).

__________________________________________________________

.

 

 

    106 - Amplificadores Vox 7120

Donos: John e George
Início de Uso: Abril de 1966
Fim de Uso: Agosto de 1966
Potência: 120 Watts
Alto-Falantes: Quatro, de 12" e duas cornetas Goodmans Midax

 

    A Vox continuava a desenvolver amplificadores especialmente para os Beatles. E eram híbros, com um pré-amp solid-state e saída valvulada.

     Desta vez vieram com protótipos muito interessantes, com uma série de efeitos de fábrica, como vibrato (do tipo transistor), reverb e fuzz. Estes amplificadores também foram ofertados aos Rolling Stones.

     Os dois guitarristas usaram estes enormes amplificadores valvulados no estúdio e na turnê mundial (exceto Estados Unidos).



   

__________________________________________________________

.

 

   107 - Amplificador Vox 4120 Bass

Dono: Paul
Início de Uso: Abril de 1966
Fim de Uso: Agosto de 1966
Potência: 120 Watts
Alto-Falantes: Quatro, de 12" e duas cornetas Goodmans Midax

 

      Paul também ganhou seu novo amplificador, que não possuía os efeitos que os de John e George. Os resistores e capacitores eram igualmente diferentes dos 7120.

      Assim como os amplificadores dos guitarristas, este foi usado em toda a turnê mundial, excetuando-se os Estados Unidos, onde uma grande estratégia de marketing estava sendo planejada pela representante da Jennings.

__________________________________________________________

;

 

    108 - Epiphone Casino:

Acabamento: sunburst
Captadores: dois captadores Humbucking P-90
Alavanca:
não
Início de Uso:
Fevereiro de 1965
Fim de Uso: Fevereiro de 1967, quando sofreria sua primeira modificação
Características: Guitarra elétrica de de corpo oco, com tampo de bordo (maple) laminado, fundo e laterais de mogo (mahogany), escala em jacarandá (rosewood), aberturas em "f", escudo branco, com cavalete modelo trapézio e um singular botão de seleção de captadores rodeado por um anel de borracha preto. 
Destino: John usou esta guitarra até as sessões de Sgt Pepper's, quando fez suas primeiras "reformas"

.

    As gravações em 1966 com esta guitarra foram em She Said She Said, Good Day Sunshine, And Your Bird Can Sing e Dr. Robert.

    Não há evidências que tenha sido usada ou não em Paperback Writer e Rain. Foi o instrumento de palco em todas as turnês.

    Esta guitarra conquistou John, que a usará até a última gravação com os Beatles, seguindo com ela em sua carreira solo.

   

.
__________________________________________________________

 

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   109 - Epiphone Casino:

Acabamento: sunburst fireglo
Captadores: dois captadores Humbucking P-90
Alavanca:
sim, modelo Bigsby B7
Início de Uso: Fevereiro de 1965
Fim de Uso: Abril de 1968, quando George rasparia sua pintura, deixando a madeira "respirar"
Características: Guitarra elétrica de de corpo oco, com tampo de bordo (maple) laminado, fundo e laterais de mogo (mahogany), escala em jacarandá (rosewood), aberturas em "f", escudo branco, assim como o modelo de John. Mas as semelhanças paravam aí: a Casino de George tinha alavanca Bigsby e o botão de seleção de captadores era dourado, como em todos os outros modelos da fábrica. George logo tiraria o escudo. O som dela também era bastante redondo, graças ao corpo oco. A paleta igualmente tinha o desenho característico da Epiphone
Destino: George usou esta guitarra até as sessões do White Album, quando fez sua "reforma"

 

    George usou-as nas sessões de Revolver, em Taxman, She Said She Said, And Your Bird Can Sing, For No One e Dr. Robert.

   A primeira aparição de George (e de John), com a Casino foi na abertura da turnê mundial, em Munique, Alemanha, no dia 24 de Junho. Os Beatles tocaram no Circus-Krone-Bau, inteiramente lotado, em duas apresentações no mesmo dia. A foto abaixo é deste dia.

   

.
__________________________________________________________

.

 

     110 - Epiphone Casino:

Acabamento: sunburst, com a cor variando do cafè nas bordas até caramelo no centro do instrumento.
Modelo: ES-230TD
Captadores: dois captadores Humbucking P-90
Alavanca: sim, modelo Bigsby B7
Início de Uso: Dezembro de 1964
Fim de Uso: Agosto de 1969, nas sessões do disco Abbey Road
Características: Guitarra elétrica de de corpo oco, com tampo de bordo (maple) laminado, fundo e laterais de mogo (mahogany), escala em jacarandá (rosewood), aberturas em "f", escudo branco, com paleta ainda com desenho "Gibson", bastante semelhante à Gibson ES-330. 
Destino: Paul possui esta guitarra até hoje, usando-a regularmente em seus discos.

 

    Paul usou sua Casino no solo de Taxman e em And Your Bird Can Sing, numa verdadeira "parede de guitarras".

.
__________________________________________________________

.

Na foto abaixo ele pode ser visto colocando o capotraste na SG, para "tirar" o som que fazia com sua Ricky-12

    111 - Gibson SG Standard:

Acabamento: vermelho cereja
Captadores: dois captadores Gibson Humbucking
Alavanca: sim, modelo Maestro Vibrola
Início de Uso: Abril de 1966
Fim de Uso: Outubro de 1968
Características: belo modelo de corpo sólido, todo em mogno (mahogany), com escala em jacarandá (rosewood), ferragens niqueladas, com sustain e "ataque" perfeitos, graças aos possantes captadores.
Destino: George usou esta guitarra até o final das sessões do White Album. Em 1969, ele deu a guitarra para o grupo Badfinger. Peter Ham ficou com ela até morrer, em 1974. Seu irmão, John Ham guardou-a até 2001, quando emprestou o instrumento para exibição no Rock and Roll Hall of Fame

 

    George estava atento ao som que Eric Clapton e Jeff Beck estavam tirando com suas Gibson Les Paul, graças aos potentes captadores Humbucking que equipavam estas guitarras. Ele já tinha trabalhado com estes captadores, que equipavam sua ES-345, mas ele não gostava do seletor Varitone que vinha com o instrumento.

    O desenho da SG seduziu George, que logo comprou uma para sua coleção.

    A primeira aparição pública de George com sua SG foi no dia 1 de Maio, na apresentação dos Beatles no New Musical Express 1965-66 Annual Poll-Winners All-Star Concert, no Empire Pool, em Wembley. George levou apenas esta guitarra.

    Nos shows da turnê mundial ela foi o instrumento reserva de palco e em um dos shows na Alemana, pela quebra de uma corda da Epiphone, ela foi usada em I Feel Fine.

    Foi testada em algumas sessões de Revolver mas evidências forográficas apontam para as gravações de Paperback Writer e Rain.

 

 

 

 

 

 

 

.
__________________________________________________________

.

    112 - Gretsch Chet Atkins 6120:

Acabamento: laranja
Modelo: PX 6120
Captadores: dois captadores Filter'Tron Humbuckers
Alavanca: sim, modelo Bigsby
Início de Uso: Abril de 1966
Fim de Uso: Abril de 1966
Características: era um belo instrumento de corpo oco, toda em bordo (maple) laminado, com tampo arqueado, escala em ébano, ferragens douradas e aberturas em "f" em estilo "neo-clássico", pintadas no corpo. Ela também possuía abafadore de cordas localizado entre a ponte e o primeiro captador. Era acionado por um botão, localizado acima dos botões de tom e volume. Era do mesmo modelo incômodo da primeira Country Gentleman de George.
Destino: Após as sessões de gravação de Paperback Writer nunca mais se viu esta guitarra em Abbey Road. Em Novembro de 1967 John deu-a de presente para seu primo, David Birch. Em 2014 foi posta em leilão.

 

      As sessões do dia 13 de Abril de 1966, foram muito bem documentadas fotograficamente.

      Nas fotos pode-se ver John usando esta guitarra em alguns takes de Paperback Writer

      Não há evidencias de que tenha sido usada ou não em Paperback Writer e Rain.   

 

 

 

 

__________________________________________________________

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   113 - Pedal Watkins WEM Pep Rush:

Donos: John e George.
Início de Uso: Abril de 1966
Fim de Uso: Final de 1966

    John e George ficaram frustrados com o não uso do fuzz em 1963! Tudo bem, era muito ousado. Mas agora, depois que Paul já havia usado no Rubber Soul, nada impedia suas experientações.

    Usaram um modelo simples, da Watkins, para "colorir" sua novas criações, o compacto Paperback Writer / Rain e o disco Revolver.

    Abaixo, John liga o pedal antes de gravar sua parte no novo compacto.

   

.

__________________________________________________________

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

    114 - Burns Nu-Sonic:

Acabamento: vermelho cereja translúcido.
Início de Uso: Abril de 1966
Fim de Uso: Abril de 1966
Características: Baixo de corpo sólido, feito de Obeche, um tipo de mogno (mahogany) africano macio e leve. Mas isso causava um problema no instrumento: por dilatar e contrair constantemente, a madeira provocava rachaduras no acabamento de poliéster. Tinha escala curta (30"), feita de jacarandá (rosewood), produzido na Inglaterra no início dos anos 60.
Destino: Após as sessões de Paperback Writer nunca mais se ouvir falar deste baixo.

 

       Os Beatles queriam um novo som para o baixo, que deixava a desejar se comparado às gravações americanas da Motown. Eles queriam peso, presença, força.

       Dentre as muitas tentativas para a gravação de Paperback Writer, uma delas foi o uso do baixo Burns, famoso por seu som pesado.

       Como nas sessões do Revolver a troca de instrumentos estava liberada, George aventurou-se no baixo, gravando alguns takes que não seriam aproveitados na versão final.

       Pode ter sido o baixo usado por George em She Said, She Said.

.

 

__________________________________________________________
 

.

 

 

    115 - Rickenbacker 12 Cordas:

Acabamento: fireglo (sunburst vermelho).
Modelo: 360-12
Captadores: dois captadores Rickenbacker Single Coil Toaster Top
Alavanca: não, pois desafinava o instrumento
Início de Uso: 21 de Agosto de 1965
Fim de Uso: Março de 1969
Características: Novo modelo da consagrada guitarra de 12 cordas usada por George. Um belíssimo instrumento de corpo semi-oco, todo em bordo (maple), escala em jacarandá (rosewood), com aberturas triangulares, escudo branco duplo e borda branca. As características mais marcantes deste novo modelo eram a saída Rick-O-Sound, em estéreo, o cavalete agora tinha o "R" típico dos novos modelos da fábrica e ela possuía bordas arredondadas, sem a borda branca na frente. 
Destino: Esta guitarra parece ter sido roubada após o início das gravações do disco Abbey Road.

 

    Com maior liberdade no estúdio, George buscou novos timbres e sonoridades em algumas música.

    Em Here There and Everywhere usou sua segunda Ricky-12 cordas e conseguiu um belo efeito.

   

.
__________________________________________________________

 

 

 

 

 

 

 

 

    116 - Fender Stratocaster:

Acabamento: azul claro.
Modelo: Sonic Blue
Captadores: três captadores Fender single-coil
Alavanca: sim, modelo Fender
Início de Uso: Fevereiro de 1965
Fim de Uso: Junho de 1967, quando foi reformada
Características: Fabricada em 1961, como o modelo de John, também tinha o incomum acabamento "azul pálido", corpo feito de amieiro (alder), escala em jacarandá, com escudo branco.
Destino: Esta guitarra está até hoje na casa de George

 

    Sempre buscando novos timbres, George usa sua Fender em I'm Only Sleeping, I Want to Tell You e Got to Get You Into My Life.

 

  

.
__________________________________________________________

   

 

    116b - Vox Continental II:

Acabamento: preto.
Início de Uso: Março-Abril de 1966
Fim de Uso: ao final das turnês
Características: Órgão portátil fabricado pela Vox, uma evolução da linha Continental. Tinha dois teclados, sendo o inferior idêntico ao do Continental original. O teclado superior vinha com o "5-1/3' pitch". A característica principal dste teclado era o vibrato "de fábrica", conferindo um som "cheio", com tons marcantes. Um conjunto de 8 pedais podia ser acoplado ou não.
Destino: Desconhecido

    Como de costume, a Vox entregava todos os seus prtótipos para os Bestles testarem e, se aprovassem, a propaganda estava garantida. Desta vez o escolhido foi o teclado Vox Continental II, uma evolução da fábrica, ideia de Derek Underdown.

O usoa comercial deste teclado só começou em 1967. Mas os Beatles usaram em todos os shows da turnê de 1966, bem como em gravações do disco Revolver.   

   

 

 

__________________________________________________________

.

 

 

 

 

 

 

   117 - Amplificadores Vox Super Beatle:

Donos: John, Paul e George
Início de Uso: Agosto de 1966
Fim de Uso: Agosto de 1966
Potência: 120 Watts
Alto-Falantes: Quatro, de 12", mais duas cornetas de alta freqüência

 

    Para a turnê americana, Brian fez um acordo com a Vox para prestigiar o distribuidor americano, a Thomas Organ Company, que começou a fabricar localmente amplificadores para a marca. O grupo usaria novíssimos amplificadores, totalmente solid-state, feitos especialmente para eles.

    Mas o grupo não soube de antemão que seu nome estava grafado nos amplificadores, pois jamais teriam permitido.

    O preço dos "brinquedos" era bem caro: £ 440 (£ 4.700 em valores atuais).

    Mas logo se tornaram objeto de desejo de todos os músicos e fãs americanos. E as vendas foram novamente parar na estratosfera.

.

 

__________________________________________________________

 

.

.

 

   118 - Guild Starfire-125:

Acabamento: vermelho cereja.
Modelo: XII
Captadores: dois captadores De Armond Standard
Início de Uso: Agosto de 1966
Fim de Uso: Março de 1967
Características: Único modelo de 12 cordas feito pela Guild, especialmente para ser presenteado aos Beatles. Guitarra de corpo semi-oco, com tampo, fundo e laterais de mogno (mahogany) laminado, escala em jacarandá (rosewood), duas aberturas em "f" estilo "neo-clássico" e cavalete "Guild Harp". 
Destino: Após as gravações de Sgt. Pepper's esta guitarra sumiu, indo parar (não se sabe como), nas mãos do ex-marido de Yoko Ono, Tony Cox. Ele vendou o instrumento para o Hard Rock Café do Havaí.

 

    A Guild queria fazer uma guitarra que fosse a cara dos Beatles, para presenteá-los e capitalizar na divulgação. Montaram um modelo de 12 cordas exclusivo, pois sabiam do amor do grupo pelo som das 12 cordas.

    Mas a entrega desta guitarra foi a maior "gafe" do século. Mark Dronge, filho do fundador da fábrica contratou um fotógrafo para documentar o momento da entrega. Ele caminhou até a mesa do grupo, na coletiva para imprensa no Hotel Warwick, em Nova Iorque, no dia 22 de Agosto. Passou na frente de George, que estava pronto para receber mais uma 12 cordas para sua coleção, e entregou-a para John!

    George ficou sem graça e Dronge, apenas depois da mancada é que foi saber que quem usava as guitarras de 12 cordas no grupo não era Lennon. Tarde demais.

    A decepção de George fica evidente nas duas fotos.

    A única gravação conhecida em que esta guitarra foi usada será em 1967.

 

__________________________________________________________
.

 

   119 - Rickenbacker:

Acabamento: fireglo (sunburst vermelho)
Modelo: 4001S
Captadores: dois captadores, um Toaster Top e um Horseshoe
Início de Uso: Novembro de 1965
Fim de Uso: SJunho de 1967, quando foi reformado, na mesma época que John e George reformaram suas Epiphones
Características: baixo construído em 1964, de corpo maciço, todo em bordo (maple) e escala em jacarandá (rosewood)
Destino: Paul possui este baixo até hoje

 

    Em 1966 Paul passou a usar quase que exclusivamente o 4001 nas gravações dos Beatles. O baixo foi usado direto nas gravações do Revolver até sofrer sua primeira reforma, em 1967.

    Foi usado em Taxman, Here There and Everywhere, Yellow Submarine, Good Day Sunshine, Rain, And Your Bird Can Sing, For No One, Dr, Robert, I Want To Tell You, Got To Get You Into My Life e Tomorrow Never Knows.

    

.
__________________________________________________________

.

 

   120 - Hofner:

Acabamento: marrom degradê
Modelo: 500/1
Captadores: dois captadores, um na base do braço e outro junto à ponte
Início de Uso: Outubro de 1963
Fim de Uso: Setembro de 1969 (em gravações com os Beatles, pois está em uso até hoje)
Características: baixo de corpo ôco, com corpo em abeto (spruce), fundo e laterais em bordo (maple), escala em jacarandá (rosewood), com o clássico desenho em forma de violino.
Destino: Sofreu apenas uma modificação em 1966, quando Paul removeu seu escudo. Foi usado esporadicamente até as gravações do álbum-filme Get Back-Let It Be. Paul usa este baixo até hoje em shows e gravações.

      Paul usou seu surrado Hofner em I'm Only Sleeping.

      Por não concordar com a maneira com que She Said She Said estava sendo gravada, ele não toca baixo.

      George gravou o baixo usando ou o Burns ou outro instrumento.

 

.
__________________________________________________________

 

.

 

 

   121 - Violão Gibson Jumbo

Acabamento: sunburst
Modelo: J-160E
Captadores: um
Início de Uso: Setembro de 1964
Fim de Uso: Agosto de 1967, quando sofreu a primeira grande reforma
Características: Violão acústico/elétrico.  O tampo era de
compensado laminado (plywood), e o fundo e as laterais
em mogno (mahogany). O captador ficava originalmente
junto ao braço. Era exatamente igual ao roubado em Dezembro de 1963. A única diferença eram dois círculos brancos ao redor da boca, ao invés de um no modelo original.
Destino: Este violão, de propriedade de Yoko Ono, está em exibição no Rock and Roll Hall of Fame, de Cleveland

 

      Durante as gravações de Revolver, John usou seu Jumbo em I'm Only Sleeping e Yellow Submarine.

.

__________________________________________________________

.

   122 - Epiphone Texan:

Acabamento: madeira natural, clara.
Modelo: FT-79
Captadores: não
Início de Uso: Dezembro de 1964
Fim de Uso: Abril de 1967, nas sessões do disco Sgt. Peppers
Características: Violão com tampo de abeto (spruce) sólido e corpo de mogno (mahogany). Escala em jacarandá (rosewood) e escudo com o logotipo "e" da Epiphone
Destino: Paul possui este violão até hoje

 

    Paul usou seu belo violão de nylon em Here There and Everywhere e Yellow Submarine, conferindo um belo som nas canções.

   

   

 

.
__________________________________________________________

 

.

 

 

  123 - Joh Mustad's Tubon:

Modelo: IE-50
Início de Uso: Dezembro de 1966
Fim de Uso: Abril de 1967, nas sessões do disco Sgt. Pepper's
Características: Um dos primeiros sintetizadores do mundo, tinha sons de contrabaixo, saxofone, baixo elétrico, flauta de madeira. Possuía um vibrato forte, tudo controlado por botões de volume. Usava três baterias e tinha saída para amplificador e/ou alto falantes
Destino: desconhecido. 

   
    Paul usou este sintetizador de baixo, ainda não patenteado por seu inventor, o sueco Joh Mustad (a patente sairia em 1967), nas sessões do fim do ano. O som único deste instrumento deve estar em meio às colagens de Strawberry Fields Forever.

 

   .

 

 

 

 

 

 

 

.
__________________________________________________________

Visite as outras páginas...

As páginas são atualizadas regularmente e novos instrumentos ou fotos são adicionados!

 

Home  1956-1959  1960  1961-1962  1963  1964 1965  1967  1968  1969  1970