Mensagem para George Harrison
Discografia Brasileira
Discos no Mundo
Raridades em estéreo
Curiosidades Fonográficas
Instrumentos
Os Livros
Entrevistas
George Martin no Brasil
Vídeos

CLIQUE NOS ÍCONES ACIMA PARA ACESSAR A REDE

OU VOLTE AO INÍCIO

INSTRUMENTOS

 

 

   Os Beatles e suas guitarras (e baterias!)

Os Instrumentos que criaram um Sonho.


Primeira parte - 1956-1959

 

   Início  1960  1961-1962  1963  1964  1965  1966  1967  1968  1969  1970

__________________________________________________________
 

    1 - "Caseira":

    A primeira guitarra de George, segundo Paul, foi fabricada por ele mesmo.

    Estávamos conversando no ônibus e tínhamos o mesmo interesse por guitarras e música. Ele estava tentando construir uma guitarra, pequena, de corpo sólido, tipo aquelas "guitarrinhas havaianas". Ele conseguiu fazê-la e nos tornamos bons amigos. Ela não era ruim, foi um bom começo.

    Não existem fotos desta primeira guitarra, nem informações sobre seu paradeiro.

__________________________________________________________

        .

 

 

    2 - Egmond Toledo:

Acabamento: sunburst
Modelo: 105/0
Início de Uso: 1956
Fim de Uso: Março de 1958
Destino: Na Inglaterra, os instrumentos da Egmond holandesa eram distribuídos pela Rosetti. Sendo assim, o violão de George tinha o nome de Rosetti 276. Era feito de compensando de bétula (Birch plywood). Foi leiloado em Londres, nos anos 1980. Desde 1995 ele estava no "Rock and Roll Hall of Fame", de Cleveland, doado por seu proprietário anônimo. Em 2003 foi novamente leiloado, alcançando 276 mil libras!

    George comprou este "violão para iniciantes" de um amigo de escola, usando as 3 libras que havia ganho de sua mãe. Ao tentar ajustá-lo, ele desaparafusou o braço. Depois de umas semanas em cima do armário, seu irmão Pete conseguiu consertar o violão, permitindo que George fizesse sua estréia, em 1957, no British Legion Club, de Speke.

    Lá, o The Rebels, um grupo de skiffle formado pelos Harrisons e três amigos, tocaram pela primeira (e última!) vez.

.
__________________________________________________________

  

A foto acima foi tirada no escritório de Paul, onde ele tocou a Rex e fez uma carta endosando o instrumento para o leilão.

    2b - Rex:

Acabamento: sunburst
Modelo: "acoustic"
Início de Uso: 1955
Fim de Uso: Junho de 1956
Características: Guitarra acústica, com aberturas em f, fabricada no leste da Europa. Não há informações sobre o material do corpo (provavelmente feito de compensado - plywood), nem da escala (talvez de jacarandá - rosewood).
Destino: Este instrumento, de propriedade de um amigo de infância de Paul, foi leiloado em Julho de 2013 por £ 330.000.

    Em 1955, Paul não tinha um violão, muito menos uma guitarra. Um amigo de escola, Ian James, tinha uma guitarra Rex.

    Foi nesta guitarra que ele aprendeu os primeiros acordes que o levariam a impresionar John Lennon tempos depois.

    Um ano depois Paul finalmente ganharia seu primeiro instrumento.

 

 

__________________________________________________________

.

.

    3 - Framus Zenith:

Acabamento: sunburst
Modelo: 17
Início de Uso: Junho de 1956
Fim de Uso: Maio de 1960
Características: Guitarra acústica, com aberturas em f e escudo branco, fabricada na Alemanha. Corpo feito de compensado, com escala e pestana feitas de jacarandá (rosewood).
Destino: Este instrumento de Paul, comprado por £ 14,70 (£ 215 em valores atuais), está até hoje em seu famoso estúdio Replica, nos escritórios da MPL, no Soho, Londres.

    Paul ganhou um trompete de seu pai, como presente de aniversário. Não demorou muito e ele foi na mesma loja, trocando por este bela guitarra de 15 libras. Mas ele não conseguia tocar nada.

   Eu não tinha sacado que por eu ser canhoto, não dava para tocar direito. Ao ver uma foto de Slim Whitman, que também era canhoto, eu descobri que tinha que inverter a posição do instrumento.

    Esta guitarra pode ser ouvida na gravação de That'll Be The Day / In Spite Of All The Danger, realizada em 1958, com Paul, John, George, John "Duff" Lowe (piano) e Colin Hanton (bateria)

 

 

__________________________________________________________

  .

 

 

    4 - Gallotone Champion:

Acabamento: sunburst
Início de Uso: Março de 1957
Fim de Uso: Agosto de 1959
Características: Violão de fabricação sul-africana, feito de compensado.
Destino: Foi leiloado na Sotheby's, de Londres, por 250 mil dólares, em 1999.

    John comprou este violão por £ 6 (£ 90 em valores atuais), através de um anúncio de jornal, e formou sua primeira banda, Black Jacks, junto com seu amigo Pete Shotton.

    Com a entrada de outros amigos, o grupo foi rebatizado para Quarry Men.

    Foi com este instrumento que, no dia 6 de Julho de 1957, em uma festa nos jardins da Igreja de São Pedro, em Woolton, que o jovem Paul McCartney viu John e sua banda.

    Este violão pode ser ouvido na gravação de That'll Be The Day / In Spite Of All The Danger, realizada em 1958, com John, Paul, George, John "Duff" Lowe e Colin Hanton.


Abaixo o violão original de John, no dia de seu leilão.

__________________________________________________________

  .

  Na foto acima, falta o surdo. Mas provavelmente este era o modelo usado por Ringo

  .

 


    5 - Bateria Ajax:

Acabamento: provavelmente era "Blue Oyster"
Modelo: Desconhecido
Início de Uso: Maio de 1957
Fim de Uso: Julho de 1960
Destino: Não se sabe o paradeiro desta bateria

Logo original: Nenhum
Peles: Desconhecidas
Bumbo: 20"x14"
Surdo: 14"x14"
Tons: 1 de 12"x8"
Caixa: 14"x5"
Crash: Ajax 16"
Hi-Hat: Ajax 13"

    Com 18 anos, Ringo tinha sua primeira "bateria séria". Foi presente de seu padrasto.

    Com ela ele começou a tocar com o Eddie Clayton Skiffle Group. Ringo tocou com eles até 1959, quando entrou para o Darktown Skiffle, onde ficaria por poucas semanas.

    A foto ao lado é uma das poucas fotos conhecidas de Ringo com o grupo de Eddie.

Ritchie Starkey - bateria
Frank Walsh - guitarra
Roy Trafford - baixo-de-caixa-de-chá
John Dougherty - tábua de esfregar
Eddie Miles ("Eddie Clayton") - guitarra/vocais

__________________________________________________________

  .

 

 

 

   6 - Hofner President:

Acabamento: sunburst
Início de Uso: Março de 1958
Fim de Uso: Agosto de 1959
Características: Guitarra acústica estilo "archtop", com aberturas em f, topo em abeto (spruce) e fundo e laterais em bordo (maple), escudo preto e ponte modelo compensator.
Destino: Foi trocada por outra guitarra, esta elétrica, com um dos membros do grupo Swinging Blue Jeans.

    Numa considerável melhoria de instrumento, George comprou por £ 30 (£ 475 em valores atuais), novamente com a ajuda de sua mãe, eterna incentivadora de seu talento, esta bela guitarra acústica, topo-de-linha da Hofner.

    Tempos depois George instalou um pequeno captador, conseguindo mais volume.

    Esta guitarra pode ser ouvida na gravação de That'll Be The Day / In Spite Of All The Danger, realizada em 1958, com George, John, Paul, John "Duff" Lowe e Colin Hanton.

__________________________________________________________

  .

  .

 

 

    7 - Bateria Ajax:

Acabamento: provavelmente era "Blue Oyster"
Modelo: Desconhecido
Início de Uso: Março de 1957
Fim de Uso: Julho de 1960
Destino: Não se sabe o paradeiro desta bateria.

Logo original: "R-S"
Peles: Desconhecidas
Bumbo: 20"x14"
Surdo: 14"x14"
Tons: 1 de 12"x8"
Caixa: 14"x5"
Crash: Ajax 16"
Hi-Hat: Ajax 13"

    Após um breve temporada com o Darktown Skiffle, Ringo começou a tocar o Rory Storm and the Hurricanes. Este grupo começou a fazer sucesso muito antes dos Beatles e logo tornaram-se um adversário a ser batido, em termos de popularidade.

    O que mais chamaria a atenção dos Beatles seria o baterista de Rory, Richard "Ritchie" Starkey, que adotou o nome artístico de Ringo (derivado de Rings - anéis), já que usava vários anéis.

Johnny Byrne "Johnny Guitar" guitarra ritmo)
Wally Eymond "Lu Walters" (baixor/vocais)
Ritchie Starkey "Ringo" (bateria)
Alan Caldwell "Rory Storm" (vocais)
Charles O'Brien "Ty O'Brien" (guitarra solo)

__________________________________________________________

  

  

 

    8 - Hofner Club 40:

Acabamento: madeira clara envernizada (blonde)
Modelo: 126/B
Captadores: um captador modelo Club 40
Início de Uso: Agosto de 1959
Fim de Uso: Novembro de 1959
Características: Guitarra elétrica de corpo semi-oco, com tampos de abeto (sprouce), sem aberturas, apesar de parecer uma guitarra de madeira maciça. Escala de jacarandá com marcações em madrepérola.
Destino: Segundo George, esta guitarra foi trocada por alguma coisa que ele não se lembra mais. Uma história recentemente contada fala de funcionários do Star Club indo ao show dos Beatles no Hammersmith Odeon, em Dezembro de 1965, com uma Club 40 nas mãos. Saíram de lá com ela autografada pelos quatro Beatles (na verdade especialistas apontam para Neil Aspinall como o real autor das assinaturas). A guitarra foi o prêmio de uma "batalha de bandas". A foto ao lado é a da suposta Club 40 de George autografada.


    Guitarra, de fabricação alemã, era distribuída na Inglaterra pela Selmer. Foi adquirida em uma troca com Ray Ennis, guitarrista do grupo Swinging Blue Jeans, onde George deu sua Hofner President. Ennis não se lembra mais onde foi parar esta guitarra.

    George usou esta nova Hofner em shows por toda a Liverpool. Logo ele ficaria desapontado com esta guitarra, pois um de seus ídolos, Buddy Holly, possuía uma Fender Stratocaster.

.
__________________________________________________________

.

    9 - Hofner Club 40:

Acabamento: madeira clara envernizada (blonde)
Modelo: 126/B
Captadores: um captador modelo Club 40
Início de Uso: Agosto de 1959
Fim de Uso: Agosto de 1960
Características: Guitarra elétrica de corpo semi-oco, com tampos de abeto (sprouce), sem aberturas, apesar de parecer uma guitarra de madeira maciça. Escala de jacarandá com marcações em madrepérola.
Destino: Ao que se sabe, ela foi vendida em Hamburgo, para ajudar na compra da Rickenbacker de John.

    A tia de John, Mimi, fez um crediário no valor de £ 30.45 (£ 400 em valores atuais), na loja Hessy's Music e comprou esta guitarra para o sobrinho. A primeira apresentação onde John tocou com a nova guitarra foi na inauguração do Casbah Coffee Club, de propriedade da Sra. Mona Best, mãe do futuro baterista dos Beatles, Pete.

    Ele ficou com esta guitarra até o ano seguinte, quando seria emprestada para Paul, indeciso entre qual instrumento ficar. Em seguida ela foi vendida em Hamburgo, onde John compraria o instrumento que seria o sinônimo dos Beatles.

    As diferenças desta guitarra em relação à de George é o formato retangular de seu painel de controle e o logotipo Hofner vertical.

    As únicas gravações onde a Club 40 pode ser ouvida estão presentes em um disco pirata com os ensaios feitos pelos Beatles em junho-julho de 1960, na casa de Paul.

.

.
__________________________________________________________

 

 

    10 - Dallas:

Acabamento: tobacco sunburst
Modelo: Tuxedo
Captadores:
dois captadores sólidos feito pela Henri Weil
Início de Uso:
Novembro de 1959
Fim de Uso: Novembro de 1959
Características: Guitarra inglesa de corpo sólido, em mogno, muito limitada em termos de som e recursos.
Destino: ficou guardada no sótão da casa da tia Mimi, Mendips, até que o novo dono a cedeu para exibição no Beatles Story de Liverpool, de onde saiu em Julho de 2012, para ser leiloada pela Bonhams.

    Durante a penúltima ou a última apresentação do Johnny and the Moondogs no concurso de Carrol Lewis, em Manchester, John foi sem guitarra. Ao ver esta Dallas literalmente "dando sopa", pegou o instrumento, usou e correu com ela de volta para Liverpool.

    Relatos comprovam que ele foi visto com a guitarra na cozinha de sua casa e, quando os novos donos de Mendips foram ao sótão, a guitara estava lá, junto com dois banjos e revistas.

    Pelo que se sabe John nunca saiu com esta guitarra para nenhuma apresentação.

__________________________________________________________

   .

           .

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

    11 - Neoton Futurama Grazioso Resonet:

Acabamento: sunburst vermelha
Captadores: três captadores, semelhantes aos da Fender
Alavanca: sim
Início de Uso: Novembro de 1959
Fim de Uso: Agosto de 1961
Características: Guitarra elétrica de corpo maciço (carvalho ou faia), bem semelhante à Stratocaster. Baseada no projeto da Fender, toda a parte elétrica e da alavanca foram reprojetadas, melhorando em muito o projeto dos americanos. As chaves seletoras eram flutuantes e permitiam sete combinações de timbre (a Strato só tinha 3), os captadores tinham polos ajustáveis individualmente e o controle de tom era para os três captadores (na Strato só funcionava para o captador da ponte e o do braço). O sistema da alavanca superou longe o da Fender, pois tinha seis molas individuais, sendo todo o conjunto a fonte inspiradora para modelos futuros, como o Floyd Rose. O grande ponto negativo era que a ação das cordas era muito alta, quase a 1,5cm da escala.
Destino: Em 1964, George deu esta guitarra para uma rifa entre os leitores da revista Beat Instrumental, cujo editor era Sean O'Mahony (que iria fundar a Beatles Book). O ganhador foi A.J. Thompson que, por não tocar guitarra, aceitou dinheiro em troca. O'Mahony tem a guitarra até hoje.

    George foi à loja Hessy's Music, em Liverpool, procurando uma nova guitarra, já que ele queria comprar uma "Stratocaster". Mas não existiam instrumentos americanos para vender na Inglaterra por estes dias, por causa do embargo comercial. O que Frank Hessy trouxe foi esta guitarra, fabricada originalmente pela Neoton, na extinta Tchecoslováquia, com o nome de Grazioso Resonet. Ela foi rebatizada para Futurama pela Selmer, o importador que a levou para a Inglaterra, onde era vendida por £ 57.75 (uma fortuna naquela época - mais uma vez a mãe de George deu uma "mãozinha", assinando a papelada do leasing que ele fez para poder comprá-la). Em valores atuais seriam £ 780.

    George lembra que Paul foi com ele à loja e plugou-a no amplificador, mas não saiu som nenhum. Ele aumentou o som, ao mesmo tempo que George ligou um dos captadores (eram ligados individualmente por meio de interruptores) e o que se ouviu foi um Boom saindo do amplificador, fazendo com que todas as outras guitarras caíssem da parede da loja.

    Durante a segunda visita à Hamburgo, George usou sua Futurama durante as gravações feitas para a Polydor alemã, produzidas por Bert Kaempfert, onde os Beatles acompanharam o cantor inglês Tony Sheridan (Junho, 1961). A sonoridade desta guitarra pode ser bem conferida na gravação de Cry For A Shadow, instrumental composto por ele e John.

    Ao voltar à Liverpool, George compraria uma nova guitarra, pois seu estilo havia melhorado muito e esta guitarra era difícil de tocar por causa da altura de suas cordas, apesar de possuir excelente timbre.

 

.
__________________________________________________________

Visite as outras páginas...

As páginas são atualizadas regularmente e novos instrumentos ou fotos são adicionados!

 

Início  1960  1961-1962  1963  1964  1965  1966  1967  1968  1969  1970